sicnot

Perfil

País

Hospitais de Coimbra ultrapassaram os 3.000 transplantes renais

1987 - Primeiro transplante de medula óssea realizado em Portugal.

© Fabian Bimmer / Reuters

O serviço de Urologia e Transplantação Renal do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) anunciou hoje ter ultrapassado a barreira dos 3.000 transplantes renais, um número "bastante representativo" à escala europeia.

"De há muitos anos para cá tem sido o centro português com maior número de transplantes", disse o diretor do serviço, Arnaldo Figueiredo, que dirige a unidade desde maio de 2016, salientando que Portugal é o quarto país europeu com maior taxa de transplantes por milhão de habitantes.

Em declarações à agência Lusa, o especialista salientou que 3.000 transplantes é um número muito representativo a nível europeu, pois a maioria dos centros de transplantação "não tem este número de doentes", o que "coloca o CHUC, verdadeiramente, na linha da frente".

Em Espanha, que tem um nível de transplantação global superior a Portugal, mas distribuídos por 50 centros, haverá individualmente apenas "um centro em Madrid que tem um volume de transplantação como o do CHUC, sendo os outros todos inferiores".

A organização dos transplantes em Portugal assenta em três centros: Sul, Norte e Centro. O do Centro tem uma taxa de 38 a 40 dadores por milhão de habitantes, superior aos 27 do Sul e 22 do Norte.

"Se considerássemos a zona Centro um país, o Centro seria o país da Europa que tinha maior taxa de dadores por milhão de habitantes", sublinhou Arnaldo Figueiredo, que realça o trabalho desenvolvido pelo gabinete de coordenação da região Centro na colheita dos órgãos.

"O nosso recorde de transplantes é 177 num ano, mas temos uma média dos últimos dois anos que andará nos 140, o que faz com que o número 2.000 tenha sido festejado em 2010 e que, menos de sete anos depois, estejamos a assinalar o número 3.000", acrescentou.

O número 3.000, alcançado a 27 de abril, assume importância "não só por ser, de longe, no centro português com maior número de transplantes feitos, acumulado e anual, mas também por ser numa área que é merecedora de atenção especial, porque a insuficiência renal crónica é uma doença com uma prevalência crescente".

Desde essa data, o serviço de Urologia e Transplantação Renal do CHUC, que trabalha em estreita parceria com o serviço de Nefrologia, já efetuou 12 transplantes, mantendo um ritmo "irregular, com picos, em que se pode fazer num fim de semana 12 e depois estar 15 dias sem fazer nenhum, porque a maioria (90%) são transplantes de cadáver".

Na transplantação renal não se pode falar em listas de espera, porque, segundo Arnaldo Figueiredo, um doente pode demorar "uma semana ou oito anos" a ser transplantado, dependendo de vários fatores, sobretudo da compatibilidade do doente com o dador.

"A oferta é inferior à procura. Temos menos órgãos para transplantação do que aqueles que seriam necessários, sendo inevitável que quem entre em hemodiálise fique algum tempo a aguardar", disse o médico.

O aumento significativo da sobrevida dos doentes registado nos últimos anos "deve-se ao avanço da medicina e dos fármacos, e ao acompanhamento" médico, refere o diretor do serviço, considerando que "isso é tanto mais notável quanto a qualidade dos órgãos dos dadores tem diminuído".

Segundo o especialista, a idade média dos dadores cadáver há 10 ou 15 anos era cerca de seis anos inferior àquela que é agora, porque grande parte dos dadores eram jovens vítimas de acidentes de viação e traumatismos cranioencefálicos.

"Agora, é o contrário, a grande maioria dos dadores são vítimas acidentes vasculares cerebrais, mais idosos, com hipertensão", adiantou Arnaldo Figueiredo.

Ainda assim, acrescentou, "conseguem-se taxas de sobrevida do enxerto ao final de um ano na casa dos 95% e a 10 anos na ordem dos 70%".

Para prevenir doenças renais, o responsável médico aconselha a população a praticar exercício físico com regularidade, não fumar e ter uma alimentação equilibrada, sem excesso de proteínas.

O serviço de Urologia e Transplantação Renal do CHUC abrange doentes do Algarve a Bragança e serve toda a zona Centro, onde residem 2,7 milhões de pessoas, sendo o único serviço de urgência da região com urologista permanente.

Lusa

  • Encontrada criança britânica desaparecida na praia da Luz

    País

    Foi encontrada a criança britânica que estava desaparecida desde o início da tarde, avançaram as autoridades. A Polícia Marítima tinha sido informada do desaparecimento de um rapaz de 8 anos, de nacionalidade inglesa, tendo efetuado diligências nas proximidades da praia algarvia.

    Em atualização

  • Marcelo pede "serenidade e cabeça fria" no debate político
    1:29
  • Seca agrava prejuízos agrícolas no Alentejo
    2:11
  • Estudantes universitários poderiam estar a pagar propinas mais baixas
    2:02

    País

    Os alunos universtários poderiam estar a pagar propinas mais baixas do que pagam atualmente. A situação foi denunciada pela Federação Académica do Porto, que diz que os estudantes estão a pagar cerca de 100 euros a mais do que deviam. O INE admite, num documento enviado ao Governo, que pode existir um método melhor para o cálculo destes valores.

  • Várias casas evacuadas devido a chuvas fortes na Alemanha
    0:54
  • Liberdade de movimento entre UE e Reino Unido termina em março de 2019

    Brexit

    A liberdade dos cidadãos europeus para viver e trabalhar no Reino Unido vai terminar, em março de 2019. O Governo britânico pediu esta quarta-feira um estudo de um ano sobre a migração europeia no país, de modo a ajudar no sistema de imigração que será implementado. A avaliação vai estar concluída em setembro, de 2018, seis meses antes da conclusão do Brexit.