sicnot

Perfil

País

GNR detido por disparar arma de fogo em café quando estava fora de serviço

(arquivo)

A Guarda Nacional Republicana confirmou esta segunda-feira a detenção de um militar da GNR no ativo que efetuou um disparo com a sua arma de fogo pessoal, num café do concelho de Alijó, distrito de Vila Real.

Fonte da Divisão de Comunicação e Relações Públicas nacional da GNR disse à agência Lusa que o militar se encontrava fora do seu horário de serviço quando efetuou o disparo.

A detenção foi efetuada na madrugada de sábado, num café na localidade do Pinhão, concelho de Alijó.

A fonte referiu que, em circunstância alguma, existiu perigo de vida para terceiros.

Não obstante, adiantou a GNR, "perante as circunstâncias referidas nesta situação, foi mandado instaurar processo disciplinar, a fim de averiguar as circunstâncias de facto e apurar eventuais responsabilidades".

A detenção foi efetuada por militares do Posto de Alijó e, na altura, segundo uma outra fonte confirmou à Lusa, o guarda possuía uma taxa de álcool no sangue acima do permitido por lei.

O militar foi notificado para se apresentar hoje no Tribunal de Alijó, mas apresentou recurso, saiu sem medidas de coação, e terá que voltar ao tribunal no final deste mês.

Lusa

  • "Hoje vi chover lume"
    3:57
  • A Minha Outra Pátria
    29:53
  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24

    Economia

    Milhares de clientes da Caixa Geral de Depósitos (CGD), que até aqui estavam isentos de qualquer pagamento, vão começar a pagar quase 5 euros por mês por comissões de conta. A medida abrange também reformados e pensionistas e entra em vigor já em setembro. Ainda assim, os clientes com mais de 65 anos e uma pensão inferior a 835 euros por mês continuam isentos.

  • O apelo da adolescente arrependida de ir lutar pelo Daesh

    Daesh

    Uma adolescente alemã que desapareceu da casa dos pais, no estado da Saxónia, esteve entre os vários militantes do Daesh detidos este fim de semana na cidade iraquiana de Mossul. Arrependida do rumo que deu à sua vida, deixou um apelo emocionado em que expressa, repetidamente, a vontade de "fugir" e voltar para casa.

    SIC