sicnot

Perfil

País

Guarda prisional de Viseu alvo de processo disciplinar

© Stephen Lam / Reuters

Um guarda prisional vai ser alvo de processo disciplinar devido à fuga de um recluso do Estabelecimento Prisional de Viseu, enquanto a evasão de três reclusos de Caxias aguarda pela investigação policial, disse esta quinta-feira o diretor dos serviços prisionais.

"Há procedimentos de segurança que podem ser melhorados, mas também se concluiu que houve responsabilidades da parte do guarda prisional", afirmou Celso Manata, em relação ao resultado do inquérito à fuga de um recluso espanhol, a 07 de abril, da cadeia de Viseu.

O responsável da Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP), que falava em Sintra à margem da assinatura de um protocolo com o Instituto de Registos e Notariado, para a emissão do Cartão de Cidadão a reclusos, adiantou que o guarda ainda "terá a oportunidade de se defender", mas o processo de averiguações está concluído.

"Houve uma conduta negligente que obviamente vai ser objeto de procedimento disciplinar, como, aliás, não pode deixar de acontecer", frisou. Segundo uma nota da DGRSP, um recluso espanhol, de 39 anos, que se encontrava a aguardar julgamento por um crime de tráfico de droga, evadiu-se do Estabelecimento Prisional de Viseu, durante o período de recreio dos reclusos, "através de escalamento da rede laminada de segurança".

A fuga foi detetada pelas câmaras de vigilância do estabelecimento prisional e, no pátio exterior, estava um elemento do corpo da guarda prisional, que, no entanto, não conseguiu travar a evasão.

Em relação à fuga de três reclusos de Caxias (concelho de Oeiras), Celso Manata salientou que, perante a denúncia de que terá havido "a prática de crimes, designadamente de corrupção", está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

"Estamos um bocadinho dependentes daquilo que é a investigação criminal, só depois da investigação criminal chegar a conclusões é que nós podemos continuar com o nosso processo", explicou o diretor dos serviços prisionais.

A DGRSP efetuou "algumas diligências", mas não pode concluir o processo antes das autoridades criminais tirarem "as suas conclusões", considerou Celso Manata, acrescentando que os resultados ditarão o tipo de procedimento disciplinar a adotar.

Três reclusos, dois chilenos e um português (luso-israelita), fugiram em fevereiro do Estabelecimento Prisional de Caxias, através da janela da cela que ocupavam, tendo dois sido capturados em Espanha.

O recluso português continua fugido das autoridades e, segundo o jornal Correio da Manhã, relatou "ter pago 100 mil euros a quatro guardas prisionais para o deixarem fugir", através da introdução de um fio de serra na cela, com o qual cortou as grades.

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC