sicnot

Perfil

País

"Temos em comum o sermos povos realistas, mas românticos"

ANTONIO BAT

O Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa foi esta quinta-feira felicitado, em Zagreb, pela vitória de Portugal no festival da Eurovisão e considerou que o romantismo é uma característica comum a portugueses e croatas.

No início de uma visita de Estado de dois dias à Croácia, Marcelo Rebelo de Sousa foi recebido pela sua homóloga, Kolinda Grabar-Kitarovi, no edifício da Presidência da República Croata, em Zagreb.

Em seguida, numa conferência de imprensa conjunta, a Presidente croata disse que durante o encontro com Marcelo Rebelo de Sousa se esqueceu de dizer "uma coisa muito importante", e acrescentou: "Queria felicitar vossa excelência pela vitória na Eurovisão".

O Presidente português sorriu. Depois, defendeu que a canção portuguesa, "Amar pelos dois", composta por Luísa Sobral e interpretada por Salvador Sobral, "venceu largamente por ser uma canção romântica". "E nós temos em comum o sermos povos realistas, mas românticos. Os azulejos e o fado são exemplo disso mesmo", considerou Marcelo Rebelo de Sousa, referindo-se a duas iniciativas integradas nesta visita de Estado, uma exposição de azulejos da antiga embaixada da Jugoslávia em Lisboa e um concerto da fadista Cuca Roseta.

Falando em croata, com posterior tradução para português, Kolinda Grabar-Kitarovi declarou-se "muito contente por receber o primeiro chefe de Estado português a efetuar uma visita à República da Croácia" e deu as boas-vindas a Marcelo Rebelo de Sousa "de forma calorosa".

No seu entender, Portugal e a Croácia têm atualmente "relações boas", mas "há espaço para intensificar" esse relacionamento, "especialmente no que toca à área da educação e da cultura".

Por sua vez, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que esta é "uma visita entre amigos" e salientou que a Presidente da Croácia sabe falar português, "embora, com alguma humildade excessiva, não o queira demonstrar". Quanto ao relacionamento entre os dois países, o Presidente português disse que Portugal e a Croácia são "como aqueles amigos que se conhecem há muito tempo, mas que se reencontram agora no quadro da democracia, da União Europeia e da NATO" e devem "ir mais longe nas relações bilaterais".

Marcelo Rebelo de Sousa contou que na quarta-feira à noite, quando chegou a Zagreb, esteve a "passear uma hora pelas ruas desta lindíssima capital". "E hoje, ao acordar bem cedo, pude encontrar um sol tão bonito como o sol português. Tudo nos pode aproximar. Temos de ir mais longe na proximidade entre povos, para podermos ir mais longe na proximidade entre Estados", acrescentou.

Dirigindo-se para Kolinda Grabar-Kitarovi, que em 2018 deverá realizar uma visita de Estado a Portugal, disse-lhe: "Sinto-me como se estivesse em Portugal. Quero que para o ano vossa excelência se sinta em Portugal como se estivesse na Croácia".

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC