sicnot

Perfil

País

Centeno é um "homem alegre", Passos "é uma pessoa menos alegre"

Centeno é um "homem alegre", Passos "é uma pessoa menos alegre"

O primeiro-ministro reagiu esta manhã às críticas de Pedro Passos Coelho. A propósito do Dia Mundial da Criança, António Costa falou sobre a alegria e disse que o líder do PSD é pouco alegre. 

António Costa, acompanhado pelo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e pelo presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, visitou a Escola Básica e Jardim Infância Ressano Garcia - um edifício ao lado da Presidência do Conselho de Ministros.

No final, ao fim de hora e meia de visita, o líder do executivo evitou falar sobre política com os jornalistas e foi num tom humorístico que respondeu com poucas palavras a algumas perguntas. "A alegria é ter muitos amigos e poder brincar", começou por dizer o primeiro-ministro, antes de ser interrogado se o país já teve alegrias suficientes e se uma eventual subida do rating da República Portuguesa completará um ciclo de boas notícias.

"A alegria nunca é suficiente. Queremos sempre mais alegria", alegou, sendo depois confrontado com a questão relativa a uma eventual escolha do seu ministro das Finanças, Mário Centeno, para o cargo de presidente do Eurogrupo. Costa reagiu logo: "É uma pessoa alegre também".

Já sobre as críticas feitas na quarta-feira pelo presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, segundo as quais o Governo atual se estará a aproveitar do trabalho feito pelo anterior executivo, o primeiro-ministro deixou o seguinte comentário: "É uma pessoa menos alegre".

Numa visita em que teve sempre ao seu lado o presidente da Junta de Freguesia de Campo de Ourique, Pedro Cegonho, António Costa participou em vários momentos de convívio com as crianças e assistiu à atuação de um grupo de palhaços.

Num dos pátios da Escola Básica Ressano Garcia ouviu um coro infantil cantar o "Hino da alegria", assistiu à projeção de vídeos que esta tarde serão transmitidos em várias unidades de saúde onde se encontram crianças hospitalizadas. E, antes de abandonar a escola, numa sala de aula, iniciou uma leitura coletiva do livro "A Matilde está careca", escrito por antigos alunos de faculdades de Medicina.

"Era uma vez um menino chamado Pedro, que tinha seis anos, ia entrar na escola e que tinha como melhor amigo o ursinho Egas. No primeiro dia de escola, depois de se despedir dos pais, escondeu uma lágrima", leu o primeiro-ministro, seguindo-se na leitura da história, sobre crianças com cancro, o presidente da Câmara de Lisboa e o ministro da Educação.

Nesta visita, destacou-se sempre o ministro da Educação pela forma descontraída como interagiu com as crianças.

Num dos momentos em que o vídeo demorou a começar a ser emitido, Tiago Brandão Rodrigues apresentou às crianças uma explicação bem original: "Atrasou-se porque não veio por Correio Azul".

Com Lusa

  • Tragédia de Pedrógão Grande, seis meses depois

    País

    O incêndio que deflagrou há seis meses no concelho de Pedrógão Grande e que alastrou a concelhos vizinhos fez 66 mortos e 253 feridos, sete dos quais graves, destruiu meio milhar de casas e quase 50 empresas. Quarenta e sete das vítimas mortais seguiam em viaturas, no dia 17 de junho, e ficaram cercadas pelas chamas na EN (estrada nacional) 236-1, entre Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos ou em acessos a esta via.

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC