sicnot

Perfil

País

Centeno é um "homem alegre", Passos "é uma pessoa menos alegre"

Centeno é um "homem alegre", Passos "é uma pessoa menos alegre"

O primeiro-ministro reagiu esta manhã às críticas de Pedro Passos Coelho. A propósito do Dia Mundial da Criança, António Costa falou sobre a alegria e disse que o líder do PSD é pouco alegre. 

António Costa, acompanhado pelo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e pelo presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, visitou a Escola Básica e Jardim Infância Ressano Garcia - um edifício ao lado da Presidência do Conselho de Ministros.

No final, ao fim de hora e meia de visita, o líder do executivo evitou falar sobre política com os jornalistas e foi num tom humorístico que respondeu com poucas palavras a algumas perguntas. "A alegria é ter muitos amigos e poder brincar", começou por dizer o primeiro-ministro, antes de ser interrogado se o país já teve alegrias suficientes e se uma eventual subida do rating da República Portuguesa completará um ciclo de boas notícias.

"A alegria nunca é suficiente. Queremos sempre mais alegria", alegou, sendo depois confrontado com a questão relativa a uma eventual escolha do seu ministro das Finanças, Mário Centeno, para o cargo de presidente do Eurogrupo. Costa reagiu logo: "É uma pessoa alegre também".

Já sobre as críticas feitas na quarta-feira pelo presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, segundo as quais o Governo atual se estará a aproveitar do trabalho feito pelo anterior executivo, o primeiro-ministro deixou o seguinte comentário: "É uma pessoa menos alegre".

Numa visita em que teve sempre ao seu lado o presidente da Junta de Freguesia de Campo de Ourique, Pedro Cegonho, António Costa participou em vários momentos de convívio com as crianças e assistiu à atuação de um grupo de palhaços.

Num dos pátios da Escola Básica Ressano Garcia ouviu um coro infantil cantar o "Hino da alegria", assistiu à projeção de vídeos que esta tarde serão transmitidos em várias unidades de saúde onde se encontram crianças hospitalizadas. E, antes de abandonar a escola, numa sala de aula, iniciou uma leitura coletiva do livro "A Matilde está careca", escrito por antigos alunos de faculdades de Medicina.

"Era uma vez um menino chamado Pedro, que tinha seis anos, ia entrar na escola e que tinha como melhor amigo o ursinho Egas. No primeiro dia de escola, depois de se despedir dos pais, escondeu uma lágrima", leu o primeiro-ministro, seguindo-se na leitura da história, sobre crianças com cancro, o presidente da Câmara de Lisboa e o ministro da Educação.

Nesta visita, destacou-se sempre o ministro da Educação pela forma descontraída como interagiu com as crianças.

Num dos momentos em que o vídeo demorou a começar a ser emitido, Tiago Brandão Rodrigues apresentou às crianças uma explicação bem original: "Atrasou-se porque não veio por Correio Azul".

Com Lusa

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.