sicnot

Perfil

País

Marcelo jogou matraquilhos e plantou uma árvore no Porto

JOS\303\211 COELHO

O Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa visitou esta sexta-feira a Associação "Somos Nós", dedicada a jovens com deficiência, no Porto, onde jogou matraquilhos, plantou uma árvore, tirou selfies e provou bolinhos de laranja.

Foi ao som de "Marcelo, Marcelo, Marcelo" que o chefe de Estado foi recebido pelos jovens que, rapidamente, o abraçaram, deram beijos e o apelidaram de "maior".

Depois de uma visita de cerca de uma hora, Marcelo Rebelo de Sousa, que teve a oportunidade de assistir a aulas de teatro, culinária e euro, foi perentório em dizer que a "Somos Nós" é uma "grande instituição, uma instituição de excelência".

Criada em 2006, esta Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) foi fundada por pais e amigos de jovens adultos portadores de deficiência mental para lhe proporcionar alternativas profissionais no final do período de vida escolar.

"Tem tudo o que é necessário, tem alma, tem espírito de grupo, tem técnicos competentes, tem uma equipa dirigente empenhada e uma ligação dos familiares e utentes à instituição", disse o Presidente da República.

Marcelo Rebelo de Sousa referiu que a instituição tem "muita qualidade", algo visível pelo programa, pelas atividades e pela "alegria" dos jovens.

JOS\303\211 COELHO

Quanto às queixas da associação por não conseguir acordo com a Segurança Social, o chefe de Estado realçou estar na esperança de que essa questão venha a ser ultrapassada porque a "Somos Nós" tem tudo para dobrar o número de utentes, sublinhando estar ali para isso.

Sem interromper a aula de teatro, o Presidente da República assistiu à encenação dos jovens sobre "estados de alma" que ora fingiam estar pensativos, ora aborrecidos ou ora altivos, mas no final estavam realmente felizes por o terem como espetador e, para eternizar o momento, dispararam a objetiva.

Daí, Marcelo Rebelo de Sousa foi ver a cascata de São João, onde identificou os Clérigos, a Câmara do Porto, a Sé e os barcos rabelos, passando depois para uma aula sobre euro onde, por momentos, foi responsável pela gestão do banco e, em jeito de brincadeira, disse que o ministro das Finanças, Mário Centeno, iria ficar contente por os jovens trabalharem "tão bem" as contas.

A visita passou para a cozinha, mas a conversa continuou a ser sobre contas depois de um jovem lhe dizer estar disponível para ir para o Governo de António Costa porque "não falhava contas", lugar que Marcelo Rebelo de Sousa afirmou estar "ocupadíssimo".

JOS\303\211 COELHO

Já sobre as iguarias que prepararam para o chefe de Estado, bolinhos de laranja e laranjada, Marcelo Rebelo de Sousa disse estarem "muito bons" e ainda pediu para levar alguns para comer no avião a caminho de Brasil no sábado.

Já sobre a laranjada, o Presidente da República disse estar "boa", acrescentando que as laranjas são fundamentais para uma alimentação equilibrada.

"Laranjas de um lado e frutos vermelhos do outro", afirmou.

Seguiu-se uma partida de matraquilhos de onde, pelos gritos de satisfação dos seus adversários, Marcelo saiu derrotado.

Já no exterior plantou uma árvore e foi brindado com a camisola e o pin da Associação "Somos Nós" e, claro, tirou uma foto com cada um dos jovens, mas antes de continuar o programa das Comemorações do 10 de Junho, Marcelo Rebelo de Sousa foi até ao gradeamento da instituição cumprimentar um grupo de meninos de outra associação que gritavam efusivamente pelo seu nome.

Lusa

  • Corpos de portuguesas trasladados segunda-feira 
    1:27
  • Incendiários vão passar o verão com pulseira eletrónica

    País

    Os tribunais vão poder condenar os incendiários a penas de prisão domiciliária, com pulseira eletrónica, durante as épocas de incêndio. A nova lei foi aprovada na semana passada, na Assembleia da República, e aguarda a promulgação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

  • Estado vai tomar posse de terras abandonadas

    País

    O Governo vai recorrer ao Código Civil para permitir que o Estado tome posse de terras ao abandono. À margem da entrevista ao Expresso, o primeiro-ministro anunciou que o Governo irá acionar o artigo 1345º do Código Civil, que estabelece que as coisas imóveis sem dono conhecido se consideram do património do Estado.

  • "Trump, deixe-me ajudá-lo a escrever o discurso"
    0:47

    Mundo

    Arnold Schwarzenegger diz que Donald Trump tem o dever moral de se opor ao ódio e ao racismo. Num vídeo publicado nas redes sociais, o ator norte-americano e antigo governador da Califórnia encenou o discurso que Donald Trump devia ter. 

  • Hino da SIC tocado pela viola beiroa
    2:22