sicnot

Perfil

País

Um morto em naufrágio de embarcação a remo em Caminha

Um dos quatro tripulantes do naufrágio de uma embarcação a remo, esta sexta-feira, em Caminha morreu e os outros três ocupantes do barco foram transportados ao hospital, disse à Lusa o comandante da Polícia Marítima.

Em declarações à agência Lusa, o comandante da Polícia Marítima local, Pedro Miguel Cervans Costa, explicou que "as manobras de suporte básico de vida realizadas pelos meios de socorro não resultaram tendo sido declarado, no local, o óbito do homem com cerca de 60 anos".

O responsável adiantou que "por uma questão de precaução, os outros três tripulantes do barco a remo, também de nacionalidade irlandesa, foram transportados ao hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo". As idades dos quatro tripulantes oscilam entre os 40 e os 60 anos.

O naufrágio ocorreu praia marítima da foz do rio Minho, em Caminha, ainda por razões desconhecidas.

O comandante Pedro Miguel Cervans Costa revelou que "a embarcação tinha partido de La Guardia, com destino ao rio Minho em Caminha, onde, por razões que vão agora ser investigadas, virou".

O alerta às autoridades foi dado cerca das 16:30.

Lusa

  • Queixas sobre comércio online dispararam em 2017

    Economia

    A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (Deco) recebeu 1.642 reclamações sobre compras feita pela internet em 2017, numa média de quatro queixas por dia, número que sobe para 8.538 no caso da rede social Portal da Queixa.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Escutas da Operação Marquês "não podem servir de prova"
    1:36

    Operação Marquês

    As defesas de José Sócrates e de Ricardo Salgado queixam-se que as escutas do processo Marquês estão infetadas por um vírus informático. Os advogados dizem que tal como estão as escutas não podem servir de prova. No entanto, o Ministério Público diz que estão reunidas as condições para começar a contar o prazo para a abertura de instrução.

    Luís Garriapa

  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Mais de 60% dos jovens não usam preservativo
    1:42
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52