sicnot

Perfil

País

Porque as mães colocam a própria vida em risco para proteger os filhos

Goran Tomasevic / Reuters

A oxitocina leva as mães a colocar a vida em risco para protegerem os filhos, conclui um estudo da Fundação Champalimaud hoje divulgado.

O estudo, realizado por uma equipa liderada por neurocientistas do Centro Champalimaud, pretendeu perceber o que se passa no cérebro dos pais para estarem sempre dispostos a sacrificar a vida para proteger os filhos.

O objetivo foi "tentar perceber o mecanismo" deste "fenómeno que se observa na natureza em várias espécies", uma vez que a reação imediata a uma ameaça costuma ser fugir ou ficar quieto para tentar passar despercebido, disse à agência Lusa a investigadora Marta Moita.

A alteração de comportamento para proteger as crias sugere que "os pais têm que ter um mecanismo qualquer que suprime a sua autodefesa", adiantou a coordenadora do estudo, publicado na revista Elife.

"O que os estudos mostram é que se se puser oxitocina na amígdala (região do cérebro relacionada com as emoções) os animais não se imobilizam perante uma ameaça", o que não se sabia era quais os mecanismos no cérebro que permitiam essa mudança de comportamento e quando entram em ação, disse a neurocientista.

A investigação realizada com ratos fêmeas que tiveram crias recentemente veio dar uma nova pista ao estudar o comportamento de defesa da mãe, tanto na presença como na ausência dos filhos, e testar se o mecanismo de ação da oxitocina na amígdala é necessário para a regulação desse comportamento.

As experiências consistiram em condicionar as mães, sem as crias, e associar um cheiro a mentol a um choque elétrico. Após esta aprendizagem, os animais percebiam o cheiro como uma ameaça e ficavam quietos.

Com o estudo ficou demonstrado que "as mães quando estão em presença das crias suprimem o freezing [resposta de ficar quieto] e, que em vez disso, têm outros comportamentos como tentar tapar a fonte do odor que utilizámos, que era a ameaça, tentavam esconder os filhos por baixo do material do ninho, exploravam a caixa provavelmente para localizar a ameaça ou amamentavam e mantinham as crias próximas de si", contou.

Contudo, quando os cientistas bloquearam a atividade da oxitocina na amígdala das mães, estas, independentemente da idade das crias, passaram a ficar quietas perante o perigo, esquecendo-se do seu "dever" de proteção maternal.

Segundo a investigadora, o estudo fornece um quadro experimental "para estudar quais são os sinais que as crias transmitem à mãe e que levam, em caso de perigo, à libertação de oxitocina" na amígdala da mãe, desencadeando a estratégia de defesa da descendência. "Sabemos que a comunicação química é muito importante, mas ainda não sabemos quais são os estímulos sensoriais que ativam a oxitocina", acrescentou.Questionada pela Lusa sobre se os humanos podem ter mecanismos semelhantes, Marta Moita disse que provavelmente sim."Não sabemos, mas é provável porque os elementos" para que isso aconteça estão lá todos, "falta testar".

Lusa


  • Encontrado corpo de mariscador desaparecido no Barreiro

    País

    O corpo do homem com cerca de 50 anos apareceu esta manhã junto ao Clube Naval do Barreiro, na mesma zona onde tinha desaparecido na noite deste sábado. A informação já foi confirmada à SIC pela Polícia Marítima, que adiantou que o corpo já foi levado para a morgue. O alerta foi dado por volta das 22:30 de ontem pelos companheiros de nacionalidade chinesa que estavam com a vítima na apanha de bivalves na margem sul do Tejo.

  • IPSS despejada nos Açores
    2:25

    País

    A IPSS Aurora Social, de Ponta Delgada, nos Açores, foi notificada pelo tribunal a abandonar a cozinha onde, há mais de 20 anos, fornece comida a quem mais precisa. A decisão judicial partiu de uma queixa dos moradores e põe em causa os postos de trabalho de 13 funcionárias, a maioria com deficiência. Há dois anos que a Secretaria Regional de Solidariedade Social dos Açores tenta encontrar uma alternativa à cozinha, que tem licença da câmara.

  • Pais revoltados com transporte de crianças do Mogadouro
    4:14

    País

    Os pais dos alunos de algumas aldeias de Mogadouro estão preocupados com a falta de segurança do transporte dos filhos para a escola, na sede de concelho. Os pais contestam o autocarro degradado, que avaria com frequência, e a falta de cintos de segurança em percursos rurais com dezenas de quilómetros.

  • Quer conhecer os cães mais feios do mundo?
    1:15
  • Líder do Daesh abatido durante fuga

    Daesh

    Um líder do Daesh e o assistente foram abatidos pela polícia iraquiana, em Mossul. A notícia é avançada pela agência EFE que esclarece que os dois homens terão sido mortos enquanto fugiam do Oeste para Este da cidade iraquiana através do rio Tigre.