sicnot

Perfil

País

Costa inicia hoje visita oficial ao Chile com reunião com a Presidente Bachellet

David Fernandez

O primeiro-ministro inicia, hoje, uma visita oficial com forte componente económica de dois dias ao Chile, na qual se destaca a nível institucional uma reunião, ao fim da manhã, com a Presidente da República chilena, Michelle Bachellet.

Tal como aconteceu na sua visita oficial à Argentina, que terminou na terça-feira em Buenos Aires, também no Chile, António Costa estará acompanhado pelos seus ministros dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, e da Economia, Manuel Caldeira Cabral.

Neste primeiro dia, no Chile - país com uma economia considerada mais estável do que a Argentina -, a parte inicial do programa terá um caráter estritamente político-institucional.

O encontro com a presidente chilena acontecerá logo ao fim da manhã, seguindo-se uma reunião alargada entre os governos dos dois países, declarações à imprensa e um almoço oficial.

Antes da reunião com Michelle Bachelet, em La Moneda, o primeiro-ministro desloca-se ao Monumento Bernardo O´Higgins, local onde haverá honras militares e a deposição de uma coroa de flores.

Na parte da tarde, António Costa discursa na sessão de abertura de um seminário empresarial promovido pela AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo Português) e pela InvestChile, terminando o seu primeiro dia em Santiago com uma visita ao Museu da Memória.

Antes de regressar a Lisboa na tarde de quinta-feira, durante a manhã desse dia, o líder do executivo ainda visitará o centro histórico de Santiago do Chile e o Centro Artesanal Los Dominicos.

Em relação ao Chile, Portugal possui uma balança comercial favorável, exportando produtos de média intensidade tecnológica, sobretudo máquinas e combustíveis, e importando maioritariamente produtos agrícolas.

As exportações nacionais para o Chile chegaram aos 109 milhões de euros no ano passado (contra 86,3 milhões de euros em 2012). Por sua vez, as importações foram em 2016 no valor de 52,1 milhões de euros (contra 24,7 milhões de euros em 2012).

No que respeita às exportações, Portugal tem o Chile como o seu 59.º cliente, sendo, por sua vez, o 38.º fornecedor do mercado chileno. Em intensidade tecnológica, as exportações nacionais são em 46% média e 50% baixa.

No caso do Chile, as suas exportações são 97,6% de baixa intensidade tecnológica.

Lusa

  • Fogo na Sertã alastrou aos concelhos de Mação e Proença-a-Nova
    2:37

    País

    Mais de 700 bombeiros combatem o incêndio que começou este domingo na Sertã e, durante a noite foi empurrado pelo vento para outros dois concelhos. As chamas atingiram as zonas de Mação e de Proença-a-Nova, onde os habitantes dizem que há várias casas destruídas pelo fogo. Esta manhã, chegaram dois aviões espanhóis para ajudar a controlar as chamas.

  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24
  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Pelo menos cinco feridos em ataque na cidade suíça de Schaffhausen

    Mundo

    Pelo menos cinco pessoas ficaram hoje feridas na sequência de um ataque, na cidade suíça de Schaffhausen. De acordo com as autoridades, as vítimas foram atacadas por um homem armado com uma motosserra, que está a ser procurado pela polícia. As autoridades descartaram a hipótese de "ato terrorista".

  • Oposição pressiona Maduro com anúncio de manifestações e greve geral
    1:34
  • Margem mínima de mil votos obriga a negociações intensas em Timor-Leste

    Mundo

    A Fretilin venceu sem maioria absoluta as lesgislativas para o VII Governo constitucional de Timor-Leste. De acordo com os dados oficiais, o partido de Mari Alkatiri obteve perto de 170 mil votos e conquistou 23 deputados. Já o partido de Xanana Gusmão que tinha vencido há cinco anos, ficou em segundo com 167 mil votos e 22 lugares no parlamento, num total de 65.