sicnot

Perfil

País

Reforço de meios sem efeito nas buscas de Espinho

JOS\303\211 COELHO

A capitania do Douro revelou esta quinta-feira que se mantiveram sem sucesso as buscas pelos corpos dos jovens afogados domingo em Espinho, apesar de as praias terem contado com mais operacionais nos areais e na linha de água.

Esse reforço de meios deveu-se ao arranque da época balnear, pelo que a equipa de cerca de 50 operacionais de várias entidades já envolvidos nas operações se juntaram hoje os nadadores salvadores das praias vigiadas em toda a extensão costeira entre Caminha e Figueira da Foz.

"Não tivemos resultados", declarou esta quinta-feira à Lusa o comandante Rodrigues Campos, que vem coordenando os procedimentos.

"Tivemos mais gente a patrulhar as praias, e os nadadores salvadores também receberam instruções para estarem mais tempo dentro de água, a tentar identificar possíveis indícios, mas as buscas continuam sem efeito", acrescentou.

As operações continuarão na sexta-feira, a partir das 08:00, e devem agora registar uma gradual redução de meios, embora continuando a contar com patrulhas por bombeiros e polícia marítima, além dos outros vigilantes das praias, já ao serviço.

Os dois jovens que, domingo, se afogaram na praia da costa verde, em Espinho, tinham 18 e 19 anos, e eram residentes em Canedo, no concelho de Santa Maria da Feira.

Foram vistos pela última vez no mar, quando tentavam resgatar a bola com que pouco antes jogavam no areal.

Desde essa altura, as operações com vista à recuperação dos seus corpos, envolveram diariamente um dispositivo com operacionais de diversas entidades, como as Capitanias do Douro e de Aveiro, a Marinha, a Força Aérea, a Estação de Salva Vidas do Douro, a Polícia Marítima, o Instituo de Socorros a Náufragos e várias corporações de bombeiros.

Em termos materiais, essa equipa recorreu a um helicóptero, um navio patrulha, várias carrinhas e várias motos 4x4.

O gabinete de Psicologia da Polícia Marítima também prestou apoio a 15 familiares e amigos das vítimas, em parceria com os psicólogos das câmaras municipais de Espinho e Santa Maria da Feira.

Lusa

  • "O ministro está na frigideira"
    5:33

    Opinião

    O ministro da Segurança Social, Vieira da Silva, "está cada vez mais numa posição fragilizada" devido às suspeitas de irregularidades na associação Raríssimas, diz o subdiretor de Informação da SIC, Bernardo Ferrão. Vieira da Silva já falou sobre o caso duas vezes, mas "sempre de forma algo atralhada" e "ainda não matou todas as dúvidas".

    Bernardo Ferrão

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55
  • Democratas não venciam no Alabama há 27 anos
    1:50