sicnot

Perfil

País

Lisboa, Santarém, Setúbal e Bragança sob aviso vermelho devido ao calor

Quatro distritos de Portugal continental estão hoje sob 'aviso vermelho', o alerta máximo, que representa uma situação meteorológica de "risco extremo", devido à previsão de tempo quente, informa o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O resto do país está sob aviso laranja, o segundo mais grave numa escala de quatro, o que indica a existência de um risco moderado a elevado, devido à persistência de valores altos da temperatura máxima.

De acordo com o IPMA, os distritos de Lisboa, Santarém, Setúbal e Bragança vão estar sob 'aviso vermelho' a partir das 10:00 de hoje e até ao início da noite de domingo, devido às temperaturas elevadas que se vão fazer sentir.

As temperaturas máximas previstas para estes quatro distritos são de 34 graus em Setúbal, 39 em Bragança, 41 em Lisboa e 44 em Santarém.

O resto do país, exceto as ilhas, que não têm qualquer situação meteorológica de risco, está sob 'aviso laranja' durante o mesmo período de tempo. Nesses distritos, as temperaturas máximas vão andar entre os 26 e 28 graus em Viana do Castelo e Porto, e os 42 e 43 graus, em Beja e Évora.

O IPMA prevê a continuação de tempo quente, com céu pouco nublado ou limpo, e temperaturas mínimas superiores a 20 graus Celsius.

Durante a tarde, haverá um aumento temporário de nebulosidade, em especial nas regiões do interior, com possibilidade de ocorrência de aguaceiros e trovoada.O vento será em geral fraco, soprando temporariamente moderado nas terras altas do Norte e Centro, no Algarve e a sul do Cabo Carvoeiro, durante a tarde.

Na grande Lisboa e no grande Porto, o tempo continuará quente, com subida de temperatura, céu pouco nublado ou limpo e vento fraco.

Lusa


  • Presidente da Proteção Civil demitiu-se

    País

    O Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Joaquim Leitão, pediu esta quarta-feira a demissão com efeitos imediatos. A carta de demissão foi enviada para o Ministério da Administração Interna, no entanto, uma vez que a ministra também se demitiu, o documento seguiu para o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

  • "Foi um golpe muito forte"
    1:41
  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • SIC acompanhou Francisco George no último dia como diretor-geral da Saúde
    6:20