sicnot

Perfil

País

Geofísico português assassinado e abandonado a norte de Luanda

Um geofísico português, de 62 anos, foi assassinado em Angola alegadamente por um gangue liderado pelo seu motorista, tendo o corpo sido abandonado na barra do rio Dande, a norte de Luanda.

Os restos mortais de Luís de Mendonça Torres, descobertos a 22 de maio, foram trasladados hoje para Portugal, depois de realizada a autópsia, que, segundo a mesma fonte, revelou que o crime terá sido cometido a 05 de abril de 2017.


O móbil do homicídio terá sido a subtração dos cartões de débito e crédito do português, que trabalhava em Angola, após este ter sido forçado a revelar os respetivos códigos, o que permitiu que tivessem sido feitos levantamentos de grandes importâncias das suas contas bancárias.
O motorista de Luís de Mendonça Torres, que trabalhava com o geofísico há seis anos, e mais dois elementos do alegado gangue, estão em prisão preventiva, mas os investigadores do Serviço de Investigação Criminal (SIC) suspeitam do envolvimento de outras pessoas neste homicídio.


No sábado, antes de ter sido levantado o segredo de justiça imposta à investigação, o referido Serviço de Investigação Criminal realizou uma reconstituição do homicídio, que, segundo a mesma fonte, terá sido "premeditado e planeado desde 23 de março", primeiro com o sequestro de Luís de Mendonça Torres e, depois, com o assassínio e abandono do corpo.


O cadáver foi encontrado já em decomposição, depois de um dos suspeitos ter confessado o local onde foi abandonado.

Lusa

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Martin Schulz ataca Merkel a três meses das legislativas

    Mundo

    O social-democrata alemão Martin Schulz passou este domingo à ofensiva, a três meses das eleições legislativas, ao acusar Angela Merkel de "arrogância" e de sabotar a "democracia", quando as sondagens apontam para uma larga vantagem da chanceler da Alemanha.

  • Martha, a cadela mais feia do mundo
    0:42

    Mundo

    A cadela Martha, de raça mastim napolitano ficou em primeiro lugar na edição anual do concurso que elege os cães mais feios do mundo. A cadela tem três anos, pesa 57 quilos e foi resgatada pela dona quando estava praticamente cega. Acabou por recuperar a visão depois de várias operações. Martha e a dona receberam um prémio de 1.500 dólares e uma viagem a Nova Iorque para marcarem presença em programas de televisão.