sicnot

Perfil

País

Centros de saúde da região de Lisboa com rastreios a cancros do colo do útero, cólon e reto

Centros de saúde da região de Lisboa com rastreios a cancros do colo do útero, cólon e reto

Arranca este mês na região de Lisboa e Vale do Tejo um programa que envolve 15 centros de saúde que vão passar a fazer rastreio dos cancros do cólon, do reto e do colo do útero. O objetivo é diminuir a taxa de mortalidade e alertar para a importância da prevenção.

O programa de rastreios arranca no próximo dia 20 de julho, através de um projeto-piloto que, numa primeira fase, envolverá quatro unidades de saúde da península de Setúbal.

Até 04 de setembro, os utentes desta região deverão ser rastreados a estes cancros e o objetivo é que, até final de 2018, os dois milhões de pessoas que compõem a população alvo abrangida pelos rastreios já tenha feito o exame: 940 mil mulheres para o cancro do colo do útero e um milhão de homens e mulheres para o cancro do cólon e reto.

Os utentes irão receber uma carta do seu centro de saúde a comunicar a data do rastreio.

  • Curiosidades sobre o Mundial da Rússia
    3:08
  • Inocência e talento marcaram o 9.º dia de Mundial
    0:56
  • Ronaldo no País dos Sovietes: Algumas curiosidades
    1:54
  • O choro intenso de Neymar explicado pelo próprio
    0:51
  • A queda aparatosa do selecionador do Brasil
    0:05
  • Dia de limpezas em Chaves após violenta tempestade
    2:44
  • Athanasia, uma mulher sem medo das alturas
    0:35

    Mundo

    É grega, chama-se Athanasia Athineau, tem 29 anos e pertence à unidade de forças especiais da Grécia. O salto que podemos ver é de 10 mil pés, mas Athanasia faz também saltos de 30 mil. Neste caso, caíu a uma velocidade de 250 quilómetros por hora antes de abrir o pára-quedas.

  • Talheres de Hitler vendidos por 14 mil euros

    Mundo

    Um conjunto de duas facas, três colheres e três garfos de prata, que pertencia a Adolf Hitler, foi vendido em Dorset, Inglaterra, pelo valor de 12.500 libras (aproximadamente 14.200 euros). O serviço de talheres foi criado no âmbito das celebrações do 50.º aniversário do ditador nazi.

    SIC