sicnot

Perfil

País

PJ detém agricultor suspeito de atear fogo em Boticas

TIAGO PETINGA/ LUSA

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta quarta-feira a detenção de um agricultor suspeito de atear um incêndio florestal em Boticas, distrito de Vila Real, e elevou para 30 os detidos este ano pelo crime de fogo posto.

O detido, de 57 anos, é suspeito de ser o responsável por um incêndio, ocorrido no dia 5 de abril, que colocou "em perigo uma vasta mancha florestal que apenas não foi consumida devido à rápida intervenção dos meios de combate, designadamente dos bombeiros".

O agricultor vai ser presente a interrogatório judicial para aplicação de eventuais medidas de coação.

A detenção foi efetuada pela Unidade Local de Investigação Criminal da PJ de Vila Real que, desde o dia 26 de junho, já anunciou a detenção de seis suspeitos de fogo posto na sua área de jurisdição, que se estende aos concelhos do Douro Sul.

Durante o ano de 2017, a Polícia Judiciária identificou e deteve, em todo o país, 30 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal.

Lusa

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38