sicnot

Perfil

País

FESAP espera "virar de página" sobre progressão nas carreiras

A Federação de Sindicatos da Administração Pública (FESAP) esteve esta sexta-feira reunida com o Governo sobre o descongelamento e as progressões das carreiras e no final garantiu que se irá "virar a página" neste campo já em 2018.

"O descongelamento das carreiras em 2018 vai passar pela retirada da norma do Orçamento do Estado e vai ganhar-se normalidade em cada regime de carreira", declarou José Abraão, da FESAP, à agência Lusa, depois de uma reunião de cerca de uma hora com a secretária de Estado da Administração e do Emprego Público, Carolina Ferra.

Em 2018, disse o sindicalista após o encontro, será "uma realidade o desaparecimento da norma do Orçamento do Estado que congelou a progressão nas carreiras", embora, admita, haverá que estabelecer "prioridades" sobre os prazos dos descongelamentos.

José Abraão declarou ainda ter ficado agendada uma nova reunião com o Governo para 24 de julho, encontro onde deverá estar pronto o levantamento sobre o número de pessoas em situação de progredir na carreira já no próximo ano.

Os sindicatos da Função Pública e o Governo reúnem-se hoje para discutir o descongelamento e progressões das carreiras, sem alterações desde 2009.

A FESAP (afeta à UGT) assinou um acordo com o Governo onde, entre outros temas, se previa que a negociação do descongelamento e progressões nas carreiras para 2018 ficaria concluída até ao final do mês de julho.

De tarde, reúnem-se também com a secretária de Estado Carolina Ferra o sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE) e a Frente Comum dos Sindicatos da Função Pública.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.