sicnot

Perfil

País

PJ de Braga ouve Mesquita Machado em inquérito sobre alegada gestão danosa

A Polícia Judiciária ouviu hoje de manhã o ex-presidente da Câmara de Braga Mesquita Machado, num inquérito por alegada gestão danosa e prevaricação num contrato celebrado entre a autarquia e o Sporting de Braga, disse à Lusa fonte policial.

O coordenador da Polícia Judiciária de Braga, Gil Carvalho, adiantou que o ex-autarca socialista Mesquita Machado foi inquirido durante a manhã de hoje e que aquele contrato, que remonta a 2004, "foi um dos temas" abordados.

Questionado pela Lusa, não adiantou os outros temas da inquirição.

A Lusa tentou ouvir Mesquita Machado, mas sem sucesso.

Segundo hoje avançado pelo Jornal de Notícias, aquele contrato assinado entre o município e o Sporting Clube de Braga visava a gestão do novo estádio municipal, construído para Europeu de 2004.

De acordo com o JN, "o inquérito deve-se ao facto de o contrato que permitia ao clube usufruir das instalações do estádio, determinava, à época, o pagamento de 500 euros mensais ao município, seis mil euros por ano, quando este arcava com as despesas de eletricidade e outras, [que] somavam cerca de 100 mil".

Entre 2004 e de 2013, "a câmara recebeu 54 mil euros de rendas e pagou de despesas, a favor do clube, quase 900 mil".

Lusa

  • Marcelo pede "serenidade e cabeça fria" no debate político
    1:29
  • Seca agrava prejuízos agrícolas no Alentejo
    2:11
  • Estudantes universitários poderiam estar a pagar propinas mais baixas
    2:02

    País

    Os alunos universtários poderiam estar a pagar propinas mais baixas do que pagam atualmente. A situação foi denunciada pela Federação Académica do Porto, que diz que os estudantes estão a pagar cerca de 100 euros a mais do que deviam. O INE admite, num documento enviado ao Governo, que pode existir um método melhor para o cálculo destes valores.

  • Várias casas evacuadas devido a chuvas fortes na Alemanha
    0:54
  • Liberdade de movimento entre UE e Reino Unido termina em março de 2019

    Brexit

    A liberdade dos cidadãos europeus para viver e trabalhar no Reino Unido vai terminar, em março de 2019. O Governo britânico pediu esta quarta-feira um estudo de um ano sobre a migração europeia no país, de modo a ajudar no sistema de imigração que será implementado. A avaliação vai estar concluída em setembro, de 2018, seis meses antes da conclusão do Brexit.