sicnot

Perfil

País

Ex-autarcas da Covilhã condenados a três anos de prisão

O tribunal de Castelo Branco condenou esta terça-feira a três anos de prisão com pena suspensa, o ex- presidente da Câmara da Covilhã, Carlos Pinto, e um antigo vereador, João Esgadalho, por crimes de prevaricação.

Os factos ocorreram entre 2000 e 2005 e estão relacionados com a legalização ilegal de 63 moradias unifamiliares construídas em área protegida pela concessionária da Serra da Estrela, a Turistrela.

Carlos Pinto e João Esgadalho, que haviam sido absolvidos em 2013, foram condenados pelo Tribunal da Relação de Coimbra, que considerou que deveria ser o tribunal de primeira instância a aplicar a pena.

Apenas o anterior presidente esteve hoje em tribunal, enquanto que o vereador solicitou dispensa.

Ambos foram condenados a três anos de prisão com pena suspensa

  • Marcelo pede "serenidade e cabeça fria" no debate político
    1:29
  • Seca agrava prejuízos agrícolas no Alentejo
    2:11
  • Estudantes universitários poderiam estar a pagar propinas mais baixas
    2:02

    País

    Os alunos universtários poderiam estar a pagar propinas mais baixas do que pagam atualmente. A situação foi denunciada pela Federação Académica do Porto, que diz que os estudantes estão a pagar cerca de 100 euros a mais do que deviam. O INE admite, num documento enviado ao Governo, que pode existir um método melhor para o cálculo destes valores.

  • Várias casas evacuadas devido a chuvas fortes na Alemanha
    0:54
  • Liberdade de movimento entre UE e Reino Unido termina em março de 2019

    Brexit

    A liberdade dos cidadãos europeus para viver e trabalhar no Reino Unido vai terminar, em março de 2019. O Governo britânico pediu esta quarta-feira um estudo de um ano sobre a migração europeia no país, de modo a ajudar no sistema de imigração que será implementado. A avaliação vai estar concluída em setembro, de 2018, seis meses antes da conclusão do Brexit.