sicnot

Perfil

País

Abandono no ensino superior regista taxa de 8,6%

Kim Hong-Ji / Reuters

Um total de 5.640 estudantes que se matricularam no primeiro ano e pela primeira vez num curso superior em 2014-2015 abandonaram o ensino superior, correspondente a uma taxa de 8,6% segundo dados oficiais esta sexta-feira atualizados.

O número total de estudantes que abandonaram cursos superiores corresponde a 8,6% dos 65.510 matriculados no primeiro ano e pela primeira vez no ano letivo de 2014-2015, tendo em conta a situação em que se encontravam um ano após a matrícula.

Os números abrangem licenciaturas e mestrados integrados em universidades e institutos superiores politécnicos públicos e privados.

Os dados estão disponíveis no portal Infocursos, nesta página, o portal com informação estatística detalhada sobre os cursos superiores em Portugal, em universidades e institutos politécnicos, que tem por objetivos ajudar os estudantes portugueses a escolherem o curso que querem frequentar de forma mais informada.

Os dados relativos aos alunos matriculados em 2014-2015 apontam para uma taxa de abandono mais elevada entre os alunos de licenciatura em instituições de ensino privadas, que se situa nos 13%, com um total de 1.458 alunos a desistirem dos cursos.

Nas licenciaturas das instituições públicas, a taxa de abandono é de 8,7% (3.885 alunos).

Já os mestrados integrados têm uma percentagem de abandono reduzida no ensino superior público (2,5%), mas no que diz respeito às instituições privadas, a taxa de abandono nos mestrados é mais próxima daquela que é registada ao nível das licenciaturas, com um valor de 8%.

Na sua grande maioria, no entanto, os estudantes mantiveram-se a estudar e no mesmo curso em que se matricularam.

As mudanças de curso e até de estabelecimento registam taxas que variam entre os cerca de 3% e os 8%.

De acordo com dados disponibilizados pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES), tendo por base a informação colocada no Portal Infocursos, o abandono no ensino superior tem vindo a cair nos últimos três anos considerados na análise.

No caso das licenciaturas do ensino superior público, por exemplo, a taxa de abandono em 2015-2016 era de 8,7%, que compara com uma taxa de 9,8% em 2014-2015 e uma taxa de 10,3% em 2013-2014.

Também a taxa de desemprego entre os recém-diplomados tem vindo a descer, segundo os dados da tutela.

Em 2016 havia uma percentagem de 7,2% de recém-diplomados pelo ensino superior público - entre os anos letivos de 2011-2012 e 2014-2105 - inscritos no Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) como desempregados.

Em dezembro de 2015, a taxa de diplomados pelo ensino superior público nos quatro anos letivos anteriores e inscritos no IEFP era de 8,1%.

Em dezembro de 2014, para o período homólogo, a taxa era de 8,6%.

Lusa

  • Curiosidades sobre o Mundial da Rússia
    3:08
  • Inocência e talento marcaram o 9.º dia de Mundial
    0:56
  • Ronaldo no País dos Sovietes: Algumas curiosidades
    1:54
  • O choro intenso de Neymar explicado pelo próprio
    0:51
  • A queda aparatosa do selecionador do Brasil
    0:05
  • Dia de limpezas em Chaves após violenta tempestade
    2:44
  • Athanasia, uma mulher sem medo das alturas
    0:35

    Mundo

    É grega, chama-se Athanasia Athineau, tem 29 anos e pertence à unidade de forças especiais da Grécia. O salto que podemos ver é de 10 mil pés, mas Athanasia faz também saltos de 30 mil. Neste caso, caíu a uma velocidade de 250 quilómetros por hora antes de abrir o pára-quedas.

  • Talheres de Hitler vendidos por 14 mil euros

    Mundo

    Um conjunto de duas facas, três colheres e três garfos de prata, que pertencia a Adolf Hitler, foi vendido em Dorset, Inglaterra, pelo valor de 12.500 libras (aproximadamente 14.200 euros). O serviço de talheres foi criado no âmbito das celebrações do 50.º aniversário do ditador nazi.

    SIC