sicnot

Perfil

País

Marcelo inicia hoje visita de Estado de 48 horas ao México

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República.

JOS\303\211 SENA GOUL\303\203O

O Presidente da República inicia hoje uma visita de Estado ao México de cerca de 48 horas, concentrada na capital mexicana, que descreveu como "muito curta, muito cheia" e "com uma tonalidade económica muito forte".

Marcelo Rebelo de Sousa tem chegada à Cidade do México prevista para as 17:45 locais (23:45 em Lisboa) de hoje, mas só tem encontros institucionais na segunda-feira, dia em que será recebido pelo Presidente dos Estados Unidos Mexicanos, Enrique Peña Nieto.

Fazem parte da sua comitiva o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, a secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro, o presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), Luís de Castro Henriques, e os deputados Luís Campos Ferreira, do PSD, Edite Estrela, do PS, Nuno Magalhães, líder parlamentar do CDS-PP, e Rita Rato, do PCP.

Durante esta visita de Estado, o Presidente da República vai inaugurar oficialmente as instalações da Mota-Engil na Cidade do México, e estará com o ex-vice-primeiro-ministro e anterior líder do CDS-PP Paulo Portas, que preside ao Conselho Estratégico desta construtura portuguesa para a América Latina, e é também consultor da petrolífera mexicana Pemex.

A AICEP organizou uma missão empresarial para acompanhar esta visita, composta por cerca de 40 empresas, que vão participar num fórum que juntará empresários mexicanos e portugueses, na terça-feira, com intervenções do Presidente da República e do ministro da Economia na sessão de abertura.

Entre as empresas inscritas estão a construtura Mota-Engil, o grupo Visabeira, a farmacêutica Bial, a EDP Renováveis e a Efacec, os bancos Millennium BCP e Santander Totta, a Vista Alegre, a empresa de maquinaria Siroco, a rede de ginásios VivaFit, a tecnológica WeDo e a empresa de materiais de construção Revigrés.

Em declarações à agência Lusa, numa antevisão desta deslocação ao México, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que "será uma visita muito condensada, muito curta, muito cheia, obviamente, com uma tonalidade económica muito forte - e importante, sobretudo, para o futuro do tecido empresarial português".

O Presidente da República destacou ainda o encontro que terá, na segunda-feira à noite, com a comunidade portuguesa no México, que se estima que seja composta por cerca de 2500 pessoas, salientando que "está a aumentar, à medida que aumenta a presença económica".

O chefe de Estado terá encontros institucionais com o Presidente mexicano, no Palácio Nacional, e o chefe do Governo da Cidade do México, Miguel Ángel Mancera, de quem receberá as chaves da cidade, uma das maiores metrópoles do mundo.

No plano cultural, vai visitar a Catedral Metropolitana e as ruínas do Templo Mayor, do tempo dos aztecas, e o Museu Frida Kahlo, na casa onde viveu a pintora.Estas visitas culturais serão os últimos pontos do seu programa, na terça-feira, antes de viajar para Lisboa, pelas 12:50 locais (18:50 em Lisboa).

  • "Se estivesse a governar estaria preocupado com o futuro e não só com o presente"
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • EUA negam ter declarado guerra à Coreia do Norte

    Mundo

    Os Estados Unidos negaram esta segunda-feira ter declarado guerra à Coreia do Norte e frisaram que Pyongyang não pode disparar contra os seus aviões em águas internacionais, em resposta a uma ameaça do ministro dos Negócios Estrangeiros norte-coreano.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.