sicnot

Perfil

País

Obras no Metro de Lisboa encerram estação de Arroios a partir de quarta-feira

Metro

A estação do metro de Arroios, em Lisboa, vai encerrar na quarta-feira para obras de reabilitação, perspetivando o Metropolitano de Lisboa que seja reaberta em 2019. Segundo informação disponibilizada na página da internet da transportadora, as alterações têm um custo previsto de 7,5 milhões de euros e permitirão "a circulação de comboios de seis carruagens em toda a linha Verde" (Cais do Sodré-Telheiras), o que evitará os "constrangimentos pontuais que se verificam na hora de ponta da manhã na estação de Cais do Sodré", já a partir de quarta-feira.

O anúncio das obras, em maio deste ano, foi criticado pela União das Associações de Comércio e Serviços de Lisboa (UACS), que considerava "inacreditável" que o Metro de Lisboa não tivesse informado os comerciantes.

"Parece-me inacreditável, e de um autoritarismo total, que o Metro vá fazer obras sem dizer se serão só subterrâneas ou à superfície também", disse então à agência Lusa a presidente da UACS, Carla Salsinha. A UACS pediu na altura esclarecimentos de como iria ser a obra, porque existiam informações não oficiais sobre o decorrer dos trabalhos, o que preocupava os empresários.

Embora os comerciantes não questionassem as obras - por ser "óbvio que têm de ser realizadas", sublinhou Carla Salsinha -, a preocupação passava pelo encerramento das saídas das estações de metro, que "faz com que as pessoas façam percursos completamente diferentes e já não passem nos comércios a que estão habituadas".

As obras decorrem numa estação apontada pelo Metro como sendo "envelhecida e desadequada aos padrões de mobilidade e de acessibilidade atuais", e este projeto visa também uma melhoria na acessibilidade da estação entre a superfície e o cais de embarque, modernização de equipamentos, sistemas e instalações.

A rodoviária Carris irá durante o período de obras reforçar carreiras de autocarros, como é o caso daqueles que fazem a ligação Anjos-Alameda ou que servem as estações de metro de Anjos e Alameda.

De acordo com o Plano de Desenvolvimento Operacional da Rede do Metropolitano de Lisboa, apresentado em maio, o serviço vai ter mais duas estações até 2022 - Estrela e Santos -, com o custo estimado de 216 milhões de euros, com recurso a fundos comunitários e a empréstimo no BEI - Banco Europeu de Investimento.

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC