sicnot

Perfil

País

"Este tem que ser um ano de resolver os problemas dos professores"

"Este tem que ser um ano de resolver os problemas dos professores"

No arranque formal do ano letivo, o secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira, avisa o Ministério da Educação que o próximo ano será de reivindicação. Entre os temas em cima da mesa, os professores não admitem ficar de fora do descongelamento das carreiras na função pública, assim como exigem mudanças no processo de colocações para evitar os problemas deste ano.

  • Fenprof acredita que Governo vai optar por minimizar os problemas
    2:39

    País

    Uma delegação da Federação Nacional dos Professores (Fenprof) dirigiu-se esta terça-feira de manhã ao Ministério da Educação, onde exigiu uma reunião urgente. No final do encontro, Mário Nogueira mostrou-se confiante de que será possível minimizar os problemas gerados, como a falta de critério na colocação de professores.

  • Atropelamento em Copacabana fere 15 e mata bebé de 18 meses
    1:13

    Mundo

    Pelo menos uma pessoa morreu e 15 ficaram feridas num atropelamento na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, no Brasil. O condutor, um homem de 41 anos, diz ter perdido o controlo do carro, invadiu a calçada, percorreu 15 metros e só parou no areal de uma das zonas mais turísticas do Brasil. A polícia militar confirmou, entretanto, em comunicado que não há qualquer indício de que se tenha tratado de um ataque terrorista e avançou que o condutor sofreu um ataque de epilepsia.

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45
  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38