País

Ministra ouvida no Parlamento dia 17 para falar sobre SEF

M\303\201RIO CRUZ

A ministra da Administração Interna vai ser ouvida na próxima terça-feira, dia 17, na comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais sobre a situação no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) após a demissão da diretora Luísa Maia Gonçalves.

A data foi anunciada na reunião de hoje da Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, que aprovou um novo ponto, proposto pelo CDS-PP, para que Constança Urbana de Sousa seja questionada sobre a demissão de Luísa Maia Gonçalves, na semana passada.

Os pedidos de audição tinham sido feitos em julho, muito antes da demissão da diretora do SEF. PSD e CDS pretendiam que a governante explicasse a situação no serviço, como os atrasos na entrada de passageiros no aeroporto de Lisboa.

A comissão mantém a decisão de pedir a audição da ex-diretora do SEF, proposta pelo PSD e CDS, depois da audição de ministra da Administração Interna. No entanto, o deputado do PSD Luís Marques Guedes considerou que se tornará quase incontornável face aos acontecimentos, como a demissão de Luísa Maia Gonçalves.

O pedido do CDS foi votado por unanimidade na comissão, com os partidos de esquerda, PS, PCP e BE, a declararem que a agora ex-diretora poderá ser ouvida, em caso de necessidade, depois de terça-feira.

Na lista de temas a abordar na audição, que começou a ser definida em agosto, faz ainda parte o combate aos incêndios do verão e os constrangimentos financeiros nas polícias.

Nas últimas semanas, PSD e CDS têm insistido no pedido de informações sobre as demissões no SEF, da diretora e dos diretores adjuntos, alegadamente por divergências com a ministra, acerca das alterações à lei para a entrada de estrangeiros em Portugal.

Na terça-feira, o PSD chegou a alertar para o "clima de insegurança" causado pela alteração à lei de entrada de estrangeiros e vai insistir no agendamento do seu projeto para repor a legislação anterior.

"A impossibilidade de os condenados estrangeiros, por crimes violentos, deixarem de poder ser expulsos do país" aumenta "a situação e clima de insegurança e criando uma injustiça manifesta", argumentou o deputado social-democrata Luís Marques Guedes no Parlamento.

Lusa

  • "Eu disse 'seria' quando queria dizer 'não seria'"
    1:34
  • "Não deveria ter aceitado jogar naquela final"
    1:40

    Desporto

    Jorge Jesus abordou os incidentes de Alcochete e da final da Taça de Portugal, pela primeira vez. Em entrevista à Bola TV, o treinador português, agora no Al Hilal da Arábia Saudita, falou do medo que viveu naqueles momentos. Jorge Jesus disse também que não fecha a porta a nenhum clube em Portugal.

  • Santana diz que a concorrência é livre
    0:52

    País

    Santana Lopes sublinha que quer causar o menor dano possível ao PSD com a criação de um novo partido. O antigo primeiro-ministro diz no entanto que, apesar disso, a concorrência é livre. Isto depois de um estudo feito pela Eurosondagem mostrar que 4,8% dos inquiridos votaria num novo partido de Santana Lopes. O político diz que o número é inspirador, mas não adianta certezas sobre os próximos passos.

  • Marcelo volta a levantar dúvidas sobre 2.º mandato
    2:11
  • Marcelo acredita na livre circulação no espaço da CPLP
    0:45

    País

    O Presidente da República que avançar na proposta da mobilidade de cidadãos no espaço da CPLP. Na noite de terça-feira, no discurso que fez na abertura da Cimeira de Cabo Verde, Marcelo não esqueceu as mudanças no sentido da democracia e valores que se concretizaram desde a última cimeira, em Brasília, há dois anos.

  • Veleiro preso em cabos elétricos na Ria de Aveiro
    1:39

    País

    O mastro de um veleiro embateu e ficou preso num cabo elétrico. O incidente, sem consequências para a tripulação de nacionalidade dinamarquesa ocorreu, ao fim da tarde de terça-feira, na ria de Aveiro.