sicnot

Perfil

País

Furacão Ophelia com rajadas de vento de 185 km/hora

O furacão Ophelia registou rajadas de vento de 185 quilómetros/hora e continua a aumentar a probabilidade dos seus efeitos atingirem as ilhas de Santa Maria e de São Miguel, anunciou o Centro de Previsão e Vigilância Meteorológica dos Açores.

Em comunicado, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) adianta que às 15:00 locais (mais uma hora em Lisboa) o centro do furacão Ophelia, de categoria 1, estava a 1.145 quilómetros a sudoeste dos Açores, mas verifica-se "um aumento da intensidade do vento nas últimas 12 horas", com vento médio estimado de 150 quilómetros/hora e rajadas na ordem dos 185 quilómetros/hora.

"O ciclone Ophelia está já a deslocar-se para norte/nordeste a quatro quilómetros/hora", adianta o comunicado, disponível na página do Facebook da delegação regional dos Açores do IPMA.

Segundo o IPMA, prevê-se que "nas próximas 48 horas mantenha esta direção de trajetória, continuando a aproximar-se do arquipélago dos Açores".

Assim, é esperado que às 00:00 de sexta-feira "se encontre localizado a 1.103 quilómetros a sudoeste de Santa Maria".

No sábado, pela avaliação dos resultados dos diferentes modelos meteorológicos, não se prevê que as ilhas do grupo ocidental (Flores e Corvo) sofram influência deste ciclone tropical, designação meteorológica que engloba tempestades tropicais e furacões de categorias 1 a 5, observa o IPMA.

"Para as ilhas do grupo central (Faial, Pico, São Jorge, Graciosa e Terceira), existe uma baixa probabilidade, entre 5 e 10%, de as ilhas sofrerem influência deste ciclone", adianta o comunicado.

Contudo, relativamente às ilhas do grupo oriental a probabilidade de o ciclone influenciar o estado do tempo (com vento médio igual ou superior a 65 quilómetros/hora) a partir de sábado em São Miguel varia entre 40 a 50 % e em Santa Maria varia agora entre 60 a 70%.

Lusa

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08