sicnot

Perfil

País

Furacão Ophelia provocou altas temperaturas em Portugal e no resto da Europa

Peter Cziborra / Reuters

Os especialistas da Organização Meteorológica Mundial confirmaram hoje que o furacão Ophelia contribuiu para a alteração das temperaturas na Europa, com vários recordes de calor, e esperam que volte a normalidade, nomeadamente em Portugal.

"Esperamos que [as temperaturas] voltem ao normal na Europa, incluindo em Espanha e Portugal", disse hoje a porta-voz da Organização, Clare Nullis, falando aos jornalistas, em Genebra.

A responsável realçou que "o que é mais impressionante com este furacão não é só o vento e a sua localização, mas também tudo o que o acompanha".

É que, com os ventos "excecionalmente fortes, registaram-se temperaturas altas em muitas partes da Europa, como consequência do Ophelia", explicou Clare Nullis.

A Organização Meteorológica Mundial recordou que se confirmou que os ventos fortes e as altas temperaturas associadas a este fenómeno contribuíram para a multiplicação dos incêndios florestais no Norte de Portugal e de Espanha.

Em Portugal, registaram-se, no fim de semana, temperaturas muito elevadas em alguns pontos do país, acima de 30 graus Celsius, tendo domingo sido o pior dia de fogos do ano, com centenas de incêndios no Norte e Centro do país e, pelo menos 37 mortos, além de 71 feridos, 55 dos quais ligeiros e 16 graves.

Aquela foi a segunda situação mais grave de incêndios com mortos este ano, depois de Pedrógão Grande, no verão, um fogo que alastrou a outros municípios e que provocou 64 mortos e mais de 250 feridos.

Também em Espanha, as temperaturas foram elevadas, atingindo 36 graus, mais 13 que a média habitual, enquanto na Holanda se registaram 25 graus, um recorde para esta época do ano, como aconteceu igualmente em vários locais de França.

O furacão Ophelia que, quando chegou à Europa tinha a classificação de tempestade, atinge hoje locais da Inglaterra, principalmente Escócia, onde foi declarado risco de inundações e parte do serviço de transporte está interrompido, depois de, na Irlanda ter causado, na segunda-feira, três mortos e muitos estragos.

As rajadas de vento ultrapassaram 150 quilómetros por hora, em vários locais.

Na segunda-feira, o Ophelia também provocou um fenómeno estranho no céu em várias cidades europeias, tendo ficado com fortes tonalidades amarelas e laranja.

Este fenómeno deveu-se à combinação das cinzas dos incêndios e da areia do deserto do Sahara, que este ano chegou mais a Norte que nunca.

Lusa

  • Furacão Ophelia não causou danos nos Açores
    1:39

    País

    A passagem do Furacão Ophelia ao largo das ilhas do grupo oriental dos Açores não causou estragos. A noite de sábado para domingo foi de muita chuva e vento forte, mas longe de um cenário de destruição que um furacão de nível 3 poderia supor. Ainda assim vários voos entre ilhas foram cancelados.

  • Calor no fim de semana
    1:04

    País

    O mês de outubro tem sido mais quente do que o habitual e assim vai continuar este fim de semana. As temperaturas vão rondar os 30ºC em quase todas as regiões do país, pelo menos até domingo.

  • Calor de verão no outono
    1:10

    País

    Neste início de outono as temperaturas vão atingir esta semana os 30 graus em várias cidades do país. Os termómetros começam a descer a partir de domingo.

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52