sicnot

Perfil

País

Parlamento Europeu volta a debater incêndios em Portugal na sessão plenária

O Parlamento Europeu (PE) reúne-se a partir de segunda-feira numa sessão plenária marcada por um novo debate, na quarta, sobre os incêndios florestais em Portugal e em Espanha.

Os eurodeputados vão discutir com representantes da Comissão Europeia e do Conselho da União Europeia (UE) medidas para agilizar a mobilização dos instrumentos de resposta de emergência e de financiamento da UE, bem como as ações de prevenção dos incêndios e de gestão das florestas que devem ser tomadas para evitar novas catástrofes.

Na segunda-feira, antes do arranque da sessão plenária, será cumprido um minuto de silêncio pelas mais de 100 vítimas dos fogos florestais, em Portugal, e quatro em Espanha.Há três meses, o PE já debateu -- e cumpriu um minuto de silêncio -- a questão do combate aos fogos florestais em Portugal, na sequência de Pedrógão Grande.

Em Portugal, as centenas de incêndios que deflagraram no domingo nas regiões Norte e Centro, o pior dia de fogos do ano segundo as autoridades, provocaram 42 mortos e cerca de 70 feridos, mais de uma dezena dos quais graves.

Esta é a segunda situação mais grave de incêndios com mortos este ano, depois de Pedrógão Grande, em junho, em que um fogo alastrou a outros municípios e provocou, segundo a contabilização oficial, 64 mortos e mais de 250 feridos. Registou-se ainda a morte de uma mulher que foi atropelada quando fugia deste fogo.

A Comissão Europeia contabilizou em mais de 500 mil hectares a floresta consumida este ano pelos incêndios em Portugal, mais de metade da área ardida contabilizada este ano em toda a União Europeia.

Na mesma sessão plenária, mas na terça-feira, os eurodeputados debatem com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, as conclusões do Conselho Europeu, que teve lugar na quinta e sexta-feira, em Bruxelas.

Os planos para o futuro da UE, a migração e a reforma do sistema europeu comum de asilo, a cooperação no domínio da defesa, a política externa, o mercado único digital e as negociações do 'Brexit' serão alguns dos assuntos a abordar.

No mesmo dia, será discutida a proteção dos jornalistas e a defesa da liberdade de imprensa em Malta, na sequência do assassínio da jornalista maltesa que investigou casos de corrupção, Daphne Caruana Galizia.

Na quinta-feira, o presidente do PE anuncia o vencedor do Prémio Sakharov 2017, que recompensa a liberdade de pensamento.Os três finalistas são a ativista Aura Lolita Chavez Ixcaquic, da Guatemala, a Oposição Democrática na Venezuela e o jornalista Dawit Isaak, de nacionalidade sueca e eritreia.

Lusa

  • CDS pediu mais apoios à União Europeia para vítimas dos incêndios

    País

    O CDS pediu à União Europeia mais apoios para as vítimas dos incêndios em Portugal. Numa carta enviada ao Presidente do Parlamento Europeu, o deputado Nuno Melo escreve que são necessários fundos estruturais, nomeadamente o Fundo Europeu de Solidariedade, para ajudar na recuperação da economia e reconstrução das zonas afetadas.

  • Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já têm cadastro
    1:59

    Crise no Sporting

    Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já foram condenados por 22 crimes que cometeram no passado, mas nunca nenhum deles cumpriu pena de prisão ou prisão domiciliária. O juiz decretou a prisão preventiva na sequência das agressões à equipa do Sporting por entender que se tratou de um comportamento chocante, terrorista e a perversão do espírito desportivo.

  • Está a pensar ir à praia? Não se esqueça do guarda-chuva
    0:43
  • Abate de animais nos canis proibido a partir de setembro
    1:35

    País

    O abate de animais nos canis passa a ser proibido a partir de setembro. Só em 2017, foram mortos cerca de 12 mil cães e gatos, uma média de um abate por hora. O Governo lançou um programa de incentivos financeiros de um milhão de euros, que ainda está a decorrer.

  • Cabazes solidários oferecidos pelo Governo encontrados no lixo
    0:57
  • Colheita da cereja já arrancou no Fundão
    1:54

    País

    A colheita das primeiras cerejas da época já começou no Fundão. A campanha atrasou um mês em relação a anos anteriores, por causa do inverno que se prolongou, mas os produtores garantem que o fruto é de qualidade.