sicnot

Perfil

País

Número de casos confirmados de legionella sobe para 51

Robert Pratta

O número de casos confirmados de doença dos legionários do surto no Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa, subiu para 51, mais um relativamente ao balanço de segunda-feira, anunciou a Direção-geral da Saúde (DGS).

De acordo com os números divulgados, como dados preliminares e ainda sujeitos a validação, os 51 casos de infeção com a bactéria 'Legionella pneumophila' são todos de pessoas com história de doença crónica e/ou fatores de risco, sendo 35 pessoas com mais de 70 anos e 30 mulheres (na segunda-feira eram 29).

O surto provocou até agora cinco mortes. Na atualização a DGS diz que 13 pessoas já tiveram alta clínica (mais três do que na segunda-feira), que 26 estão atualmente internadas em enfermaria e que seis estão em unidades de cuidados intensivos.

A 'legionella' é responsável pela doença dos legionários, uma forma de pneumonia grave que se inicia habitualmente com tosse seca, febre, arrepios, dor de cabeça, dores musculares e dificuldade respiratória, podendo também surgir dor abdominal e diarreia. A incubação da doença tem um período de cinco a seis dias depois da infeção, podendo ir até 10 dias.

A infeção pode ser contraída por via aérea (respiratória), através da inalação de gotículas de água ou por aspiração de água contaminada. Apesar de grave, a infeção tem tratamento efetivo.

Lusa

  • O último adeus às vítimas da tragédia de Vila Nova da Rainha
    1:37

    País

    As cerimónias fúnebres das oito vítimas mortais do incêndio na Associação de Vila Nova da Rainha realizaram-se esta terça-feira. Três delas ocorreram em simultâneo na povoação do concelho de Tondela que, no passado sábado, viu a tragédia bater-lhe à porta.

  • Fóssil humano mais antigo encontrado em Portugal entregue ao Museu de Arqueologia
    3:42

    País

    O mais antigo fóssil humano até hoje encontrado em Portugal, o "Crânio da Aroeira", foi entregue no Museu Nacional de Arqueologia, em Lisboa. Em 2014, o fóssil foi encontrado pela equipa do arqueólogo João Zilhão perto de Torres Novas e foi restaurado e estudado na Universidade Complutense de Madrid, durante dois anos e meio.

  • De "lambe rabos" a "labrego", a polémica entre Rodolfo Reis e Bruno de Carvalho
    1:30
  • O Futuro Hoje na maior feira eletrónica de consumo do mundo
    5:14
  • Ambientalistas consideram insuficiente estratégia de Bruxelas para reduzir plástico
    2:07