sicnot

Perfil

País

Proteção Civil alerta para agravamento do estado do tempo

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) alertou para o agravamento das condições meteorológicas na quarta-feira, com precipitação, intensificação do vento, queda de neve e agitação marítima.

"Prevê-se a ocorrência de precipitação, vento forte (ao longo do dia) e queda de neve a partir da cota dos 1800 metros, diminuindo (a partir da tarde) para a cota dos 1000 metros, nas regiões centro e norte", refere a ANPC em comunicado.
Segundo o documento, a precipitação acumulada poderá atingir 30 mm entre as 00:00 e as 12:00 e 40 mm nas 12 horas seguintes, especialmente a norte do Tejo.


"O vento pode atingir rajadas máximas de 100 quilómetros/hora, podendo ser pontualmente superior nas zonas mais expostas ou elevadas", acrescenta.


Para quarta-feira é também esperada agitação marítima forte, estando previsto que, a partir das 15:00, as ondas sejam de oeste/noroeste e atinjam uma altura máxima de quatro a cinco metros em toda a costa, situação que se pode prolongar até 16 de março.


A ANPC refere que devido ao agravamento das condições meteorológicas podem ocorrer danos em estruturas, queda de árvores, cheias rápidas em meio urbano, formação de lençóis de água, desabamentos ou acidentes na orla costeira, aconselhando a população a adotar os comportamentos adequados.


Todos os distritos de Portugal continental vão estar na quarta-feira sob aviso amarelo, uns devido a agitação marítima e outros por causa da chuva e vento forte, de acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).


Segundo o IPMA, os distritos de Viana do Castelo, Braga, Bragança, Vila Real, Porto, Guarda, Viseu, Aveiro, Coimbra e Castelo Branco vão estar sob aviso amarelo devido à previsão de períodos de chuva, por vezes forte, passando a regime de aguaceiros, por vezes fortes e de granizo e condições favoráveis à ocorrência de trovoada.


O aviso para a precipitação vai estar em vigor entre as 12:00 e as 18:00 de quarta-feira.


Estes distritos vão estar também sob aviso amarelo devido ao vento forte com rajadas da ordem dos 90 quilómetros por hora, podendo atingir os 100 quilómetros por hora nas terras altas entre as 09:00 e as 15:00 de quarta-feira.


Os distritos de Santarém, Portalegre, Lisboa, Santarém, Leiria, Setúbal, Évora, Beja e Faro vão estar sob aviso amarelo até às 15:00 por causa do vento forte.


O IPMA emitiu também aviso amarelo entre as 15:00 de quarta-feira e as 06:00 de sexta-feira para toda a costa portuguesa devido á agitação marítima, prevendo-se ondas de oeste com quatro a cinco metros, passando gradualmente a ondas de noroeste.


Também a Madeira está até ao final do dia de hoje sob aviso laranja devido ao vento e agitação forte.
De acordo com a Marinha Portuguesa, as barras de Caminha, Vila Praia de Âncora, Esposende, São Martinho do Porto e Ericeira estão hoje fechadas à navegação e as de Viana do Castelo, Póvoa do Varzim, Vila do Conde, Douro e a de Aveiro estão condicionadas.


Portugal continental e os arquipélagos dos Açores e da Madeira vão ser afetados a partir de hoje pela passagem da depressão "Gisele", que vai trazer chuva e vento forte e agitação marítima, segundo a meteorologista Ângela Lourenço.

Lusa

  • Segurança da Academia de Alcochete avisado 10 minutos antes do ataque
    1:57
  • "Não acho que seja prudente" o regresso dos atletas à Academia do Sporting
    5:49

    Crise no Sporting

    As agressões aos jogadores e equipa técnica do Sporting, na Academia de Alcochete, foram o tema de uma entrevista a Ana Bispo Ramires, psicologa do desporto. Questionada sobre se os jogadores deveriam regressar ou não à academia, Ana Bispo Ramires diz que não devem fazê-lo e explica que é importante que haja medidas de atuação, o mais rápido possível, para que os atletas e restante equipa técnica do clube possam reprocessar, do ponto de vista cognitivo, as ameaças que sofreram. 

  • É desta que provam a existência do monstro de Loch Ness?

    Mundo

    Para muitos, o monstro de Loch Ness não passa de uma lenda. A verdade é que a existência ou não desta criatura mística continua a suscitar debates entre aqueles que acreditam e os cépticos. Uma equipa internacional de investigadores quer responder finalmente à questão através da recolha de ADN ambiental do Loch Ness, na Escócia.

    SIC