País

ILGA considera aprovação da lei de identidade de género "dia histórico"

(Arquivo)

O presidente da ILGA Portugal considerou hoje um "dia histórico" e um "avanço fundamental" a aprovação da lei que permite a mudança de género no registo civil aos 16 anos e sem relatório médico.

"Estamos mais uma vez perante um dia histórico, acabámos de dar um avanço fundamental na área dos direitos humanos em Portugal", disse à agência Lusa Nuno Pinto.

Para o presidente da direção da ILGA Portugal (Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual e Transgénero), o diploma hoje aprovado representa "uma mudança grande na vida das pessoas 'trans'", não só pelo facto de baixar para os 16 anos a idade em que podem alterar o seu género e nome próprio no registo civil, "mas porque finalmente as pessoas 'trans' têm voz própria na lei".

A partir deste momento as pessoas para verem a sua identidade reconhecida pelo Estado deixam de estar sob uma tutela médica e a necessidade da sua aprovação" para o fazerem, sustentou."

As pessoas 'trans' poderão "finalmente requerer a alteração do nome e sexo legal no registo civil através de procedimentos baseados na autodeterminação, caindo assim a enorme barreira burocrática associada ao preconceito e colocada pela obrigação da apresentação de relatórios médicos para esta alteração nos documentos, separando-se finalmente a esfera clínica da legal".

Nuno Pinto adiantou que "as pessoas 'trans' desde muito cedo, na escola, na família, em todos os contextos, têm de estar constantemente a provar que são quem dizem ser".

Agora, a "lei vem reconhecer isto e passar uma mensagem clara à sociedade de que estas pessoas têm voz própria, sabem quem são".

Para o presidente da ILGA, esta mudança terá um "impacto enorme na vida das pessoas, no seu dia-a-dia e na sua felicidade"

Através deste diploma, serão também "proibidas mutilações genitais à nascença no caso de bebés e crianças intersexo", salvo em casos em que as intervenções cirúrgicas sejam estritamente necessárias, o que abre "um caminho novo de reconhecimento e proteção das pessoas intersexo em Portugal".

"Para quem acompanhou atentamente a longa discussão em sede de especialidade, tornou-se evidente que o passo hoje dado era mesmo fundamental e urgente", disse Nuno Pinto, rematando: "é um dia para celebrar".

Com esta "lei histórica", Portugal junta-se à Noruega, Dinamarca, Bélgica, Irlanda e Malta, numa lista ainda restrita de países na frente da conquista de Direitos para as pessoas LGBTI na Europa, refere a Nuno Pinto em comunicado.

O diploma foi aprovado com votos favoráveis de PS, BE, PEV e PAN, contra de PSD e CDS-PP e abstenção do PCP.

O texto final, que resulta de uma proposta do Governo e de projetos do BE e PAN, vai permitir que maiores de 16 anos possam alterar o seu género e nome próprio no registo civil, apenas mediante requerimento e sem necessidade de recorrer a qualquer relatório médico.

Entre os 16 e os 18 anos, este procedimento terá de ser autorizado pelos representantes legais.

Lusa

  • Ministério Público anulou interrogatório a Manuel Pinho
    3:13

    País

    O antigo ministro Manuel Pinho esteve esta manhã no DCIAP para ser interrogado a propósito das relações que manteve com o Grupo Espírito Santo e a EDP nos anos em que esteve no governo. No entanto a diligência ficou sem efeito a pedido do Ministério Público.

  • Três feridos dos incêndios de outubro ainda continuam internados
    1:07

    País

    Continuam internadas três vítimas dos incêndios de outubro do ano passado, entre elas uma menor, de 12 anos, no Hospital Pediátrico de Coimbra. Os outros dois feridos estão no Centro de Reabilitação da Tocha. Nove meses depois, as vítimas dos fogos continuam a ser acompanhadas em consultas de cirurgia plástica, fisioterapia e reabilitação e a nível psicológico em centros de saúde e por equipas de saúde mental comunitária.

  • CP acaba com primeiro rápido da manhã entre Lisboa e Porto

    Economia

    A CP já apresentou as alterações aos horários dos comboios Alfa Pendular e Intercidades a partir do próximo dia 5 de agosto de 2018 (domingo). A nova escala elimina o primeiro Alfa Pendular da manhã por uma nova ligação Intercidades que só sai de Lisboa aproximadamente uma hora depois. Uma medida justificada pela falta de procura mas que surge dias depois de serem denunciados problemas no funcionamento dos Comboios de Portugal.

  • Marcelo confiante na "presidência inspiradora" de Cabo Verde na CPLP
    0:40

    País

    O Presidente da República português mostra-se muito confiante nesta nova fase que se abre à CPLP, com a nova presidência da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) que passa do Brasil para Cabo Verde. À SIC, Marcelo Rebelo de Sousa admitiu que, em Brasília, havia muitas questões pendentes mas agora há "um clima muito positivo entre os membros da CPLP, com maior peso na comunidade mundial".