País

"Sem a luz do sol somos infelizes"

Stephane Mahe

No Dia Internacional da Luz a Universidade de Lisboa lembra que a luz artificial não traz felicidade aos seres humanos, cujos corpos estão desenhados para funcionar melhor expostos à luz natural, arredada de espaços como escritórios ou centros comerciais.

A vice-reitora Isabel Rocha e o especialista em sono Miguel Meira e Cruz, da faculdade de Medicina, assinalam o dia na Incubadora da Universidade, onde estará instalado um modelo em que se junta a luz como combustível biológico à luz como elemento do mundo do espetáculo e artes, para o que conta também com a Associação Portuguesa de Festivais de Música.

"Os seres humanos são animais diurnos para os quais a luz é fundamental", afirmou Miguel Meira e Silva, que é especialista em Cronobiologia e Medicina do Sono.

Os seres humanos podem aprender com outros modelos animais, como o da 'Gonyaulax', um protozoário unicelular para quem a luz serve para controlar a aquisição de nutrientes e a "estabilidade social" que precisa para a sua sobrevivência.

É a luz do sol que estimula as células fotossensíveis e desencadeia ao longo de cada dia os mecanismos que levam ao sono, vigília e repouso e influencia a frequência cardíaca, pressão arterial, produção de urina e temperatura do corpo.

Com a falta de luz natural há "um índice maior de infelicidade" e "alterações relacionadas com a ansiedade e depressão".

A criatividade e a memória também são sensíveis à luz, afirma Miguel Meira e Cruz num comunicado a propósito do dia Internacional da Luz, notando que se sofre "cada vez mais com o encarceramento em locais fechados com acesso condicionado a claridade original", dos escritórios aos centros comerciais e até a casa de cada um.

Isso faz aumentar a prevalência "de doenças e de incapacidade", porque a falta de luz do Sol influencia "o sistema imunitário e a função cardiometabólica".

"A criatividade, memória e predisposição para dinamizar são também capacidades afetadas pela falta ou ausência de luz", indica o especialista.

Num corpo humano, as células, tecidos e órgãos também são influenciados pela luz natural, por exemplo, com as células fotossensíveis na retina, que regulam o tempo interno de cada pessoa.

Com Lusa

  • Hoje era dia de acertar horas de sono. Tirou uma sesta?

    Mundo

    Especialistas acreditam que a mudança da hora tem uma grande influência na nossa saúde, principalmente a nível do sono. Por isso, recomendam que no dia a seguir à mudança da hora, os trabalhadores façam uma sesta para recuperar as horas de sono perdidas. Mas será mesmo assim? E você, aproveitou e fez uma sesta ou vai ter de esperar até ao próximo ano?

  • Anticiclone dos Açores afasta o verão de Portugal
    1:46

    País

    O verão vai continuar ameno em Portugal e, no início da próxima semana, as temperaturas máximas vão mesmo descer. Um cenário bem diferente do do norte da Europa, onde são as ondas de calor que estão a preocupar as autoridades. 

  • Ryanair prevê cancelamento de 50 voos diários em Portugal
    2:10

    Economia

    A Ryanair vai cancelar até 50 voos em Portugal durante os dois dias de greve, na próxima semana. A companhia irlandesa garante que já contactou 90% dos clientes com viagens marcadas de e para o país, que podem agora pedir o reembolso ou reagendar os voos.

  • Volta ao Mundo em Arroios
    18:46
  • Sócrates defende Pinho e critica Parlamento

    País

    José Sócrates saiu em defesa do seu antigo ministro da Economia, Manuel Pinho. Num artigo de opinião publicado no Expresso, o ex-primeiro-ministro aponta o dedo ao presidente do PSD e ao líder parlamentar do PS.

  • PP espanhol elege o líder mais jovem de sempre

    Mundo

    O novo presidente do Partido Popular (PP) espanhol, Pablo Casado, com 37 anos, é o líder mais jovem que este partido já teve na sua curta história, sendo visto por muitos como defensor da ala mais conservadora e tradicional.