sicnot

Perfil

Pequenas grandes histórias

Artistas apontam baterias a Trump em noite de Grammys

Artistas apontam baterias a Trump em noite de Grammys

A 59.ª edição dos prémios Grammy, que decorreu esta noite no Teatro Microsoft de Los Angeles, Califórnia, foi pontuada por algumas declarações políticas, sobretudo de artistas que se opõem ao novo Presidente, Donald Trump.

"Este é precisamente o momento para os artistas meterem mãos à obra", disse a cantora norte-americana Jennifer Lopez, citando o escritor afro-americano Toni Morrison, embora sem referir o nome do Presidente norte-americano.

"Não há tempo para o desespero, (...) não há necessidade para o silêncio nem espaço para o medo", acrescentou.

O apresentador James Corden invocou o Presidente norte-americano logo na abertura da cerimónia: "Vivam tudo ao máximo, porque com o Presidente Trum não sabemos o que vem a seguir", disse.

A tirada política mais forte coube, no entanto, ao grupo de rap A Tribe Called Quest (ATCQ), com o músico Busta Rhymes a juntar-se em palco para cantar a música "We the people" no Teatro Microsoft de Los Angeles.

Busta Rhymes chamou "agente laranja" ao Presidente norte-americano, em alusão ao seu cabelo, mas também a um químico utilizado pelos Estados Unidos durante a guerra do Vietname.

"Quero agradecer ao Presidente agente laranja por perpetuar o mal por todos os Estados Unidos", disse. "Todos os negros, vocês devem partir; todos os pobres, vocês devem partir; todos os mexicanos, vocês devem partir; todos os muçulmanos e homossexuais, as pessoas detestam a vossa forma de estar e enquanto pessoas do mal devem partir", cantaram os 'rappers', criticando a ordem executiva anti-imigração de Trump e o muro que ele quer construir na fronteira com o México.

Os 'rappers' entoaram repetidas vezes "We the people" , e terminaram a atuação a gritar "Resist! Resist! Resist!" , enquanto pessoas de várias etnias subiam ao palco.

A atuação de Katy Perry incluiu algumas mensagens políticas e a apresentação do preâmbulo da Constituição norte-americana. Mas ao contrário das cerimónias dos Globos de Ouro e Prémios do Sindicato de Atores , Trump não foi uma referência nos discursos de aceitação dos prémios.

A gala desta noite contou também com uma declaração pró-Trump. A cantora Joy Villa chegou coberta com uma capa branca, que depois tirou para revelar um vestido justo azul e branco com o 'slogan "Make America Great Again" estampado na frente, e a inscrição "TRUMP" na cauda em cor prateada.

Na sua conta de Instagram, Villa, mais conhecida pelas suas declarações na passadeira vermelha do que pelas suas atuações, disse: "Toda a minha plataforma artística é sobre o amor".

A declaração foi repudiada em comentários no Twitter e Instagram.

Ao prestar homenagem ao ícone do jazz e do soul Al Jarreau, que faleceu no domingo, o músico Gregory Porter, laureado com um Grammy, disse que "o jazz é a música da liberdade e Al a sua encarnação".

Com Lusa

  • Lesados do BES manifestam-se hoje no Porto 

    Queda do BES

    Um grupo de lesados pelo Banco Espírito Santo (BES) concentra-se hoje no Porto para exigir "bom senso" ao Governo, ao Banco de Portugal (BdP) e aos responsáveis do Novo Banco, refere um comunicado remetido às redações.A manifestação está marcada para as 11:00, nas imediações do balcão do Novo Banco e do Banco de Portugal, na Avenida dos Aliados, e a nota dirigida à imprensa é assinada por quase centena e meia de pessoas."

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Morre congressista republicano norte-americano acusado de assédio sexual

    Mundo

    O congressista estatal do Kentucky e pastor evangélico Dan Johnson morreu na quarta-feira, num aparente suicídio, dois dias depois de ser acusado de assédio sexual por uma mulher, disseram as autoridades. O médico legista do condado, Dave Billings, afirmou que a morte de Johnson foi causada por um único tiro, numa ponte de Mount Washinton, perto de Louisville, onde estacionou o automóvel.

  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28