sicnot

Perfil

Pequenas grandes histórias

Trump quer "um desfile militar como o da França" mas em Washington

Trump quer "um desfile militar como o da França" mas em Washington

Patrícia Almeida

Patrícia Almeida

Texto e edição de imagem

Jornalista

Donald Trump quer mostrar o poder militar dos EUA ao mundo. O Presidente norte-americano gostou do que viu em Paris no Dia da Bastilha e agora quer o mesmo em quer em Washington. Entretanto, várias vozes já se insurgiam contra esta ideia.


Há quem considere tratar-se que é mais um exemplo das tendências autoritárias de
Donald Trump. A organização "Vote for Vets", que representa 500 mil veteranos de guerra, considera que a parada "não servirá para (trump) saudar os militares mas para os militares o saudarem".

Há ainda a questão do custo do transporte dos equipamentos militares, como e quem paga a despesa e também perceber qual o papel de Trump na parada, se fica a assistir ou participa.

  • Trump pede ao Pentágono para organizar um desfile militar em Washington

    Mundo

    O Presidente norte-americano quer criar um desfile militar para mostrar o poder militar dos Estados Unidos, assim destacando o seu papel de comandante, declarou hoje a Casa Branca. Inspirado pela parada do Dia da Bastilha, a que assistiu em Paris em julho, Donald Trump apresentou ao Pentágono, em finais de janeiro, o pedido para que organize uma marcha militar em Washington.

  • Dois jovens atropelados mortalmente no concelho de Montemor-o-Velho
    2:20
  • Presidente de "O Sonho" suspeito de peculato e fraude
    2:26

    País

    O presidente das três instituições de solidariedade social de Setúbal - incluindo "O Sonho" -, que na sexta-feira foram alvo de buscas, foi constituído arguido. Florival Cardoso é, por enquanto, o único suspeito de peculato e fraude na obtenção de subsídios para as instituições.

  • Manifestação contra mina de urânio junta milhares em Salamanca
    1:39
  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de armas da PSP, três recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avançou este sábado que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • Cessar-fogo de 30 dias na Síria
    2:07