sicnot

Perfil

10 Minutos

10 Minutos com Luaty Beirão

Entrevista completa

10 Minutos com Luaty Beirão

Luaty Beirão diz que há cada vez menos medo e mais indignação em Angola, mas lamenta que a oposição não esteja à altura do desafio. O ativista esteve hoje na SIC Notícias e garante que o "Grupo dos 15+2" continua ativo.

Há um ano, ainda cumpria uma pena de prisão de 5 anos e meio, acusado de "actos preparatórios de rebelião e de integrar uma associação de malfeitores". A greve de fome de 36 dias, que cumpriu na cadeia, ganhou dimensão internacional e causou desconforto ao regime de Luanda. Para além de Luaty, outros 16 activistas cumpriam pesadas penas de prisão por se terem juntado para debater um livro sobre formas de transição pacífica de poder. Contra todas as expectativas, Luaty Beirão e os outros ativistas foram libertados pouco tempo depois.

Agora, com as eleições à porta, Luaty assume que não vai votar para não participar naquilo que considera ser uma farsa. Teme que se Eduardo dos Santos não resistir até às eleições deste verão, para entregar a chave do país, Angola possa enfrentar um golpe de estado.

Sobre a recente retirada da SIC Notícias e da SIC Internacional África de duas distribuidores de televisão em Angola, o ativista diz "que o argumento financeiro não colhe" e que "a SIC incomoda".

  • "A SIC incomoda" em Angola
    0:39

    Mundo

    Dois canais da SIC foram recentemente retirados das duas plataformas de transmissão em Angola e Isabel dos Santos alegou razões comerciais. Para Luaty Beirão, esta decisão foi consequência do incómodo que a SIC começou a provocar, depois de várias reportagens que denunciavam violação de direitos humanos e corrupção no regime angolano.

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.