sicnot

Perfil

A verdade sobre a mentira

"Para a maioria das pessoas, a diferença entre informação falsa e real é muito pequena"

"Para a maioria das pessoas, a diferença entre informação falsa e real é muito pequena"

Especialista em literacia mediática, antigo jornalista na BBC, professor na Universidade do Minho, Luís António Santos contextualiza a realidade das notícias falsas, aponta responsabilidades e indica caminhos. "Este espaço está em vazio porque para a maioria das pessoas, a diferença entre a informação falsa e a informação real já é muito pequena. E isso é uma tragédia muito grande. Isso é o problema de fundo do jornalismo hoje em dia", diz o docente, em entrevista à SIC. Ele próprio, confessa nesta conversa, já tropeçou na falsidade que circula nas redes sociais. "As não verdades, as mentiras, espalham-se com grande velocidade", sublinha.

  • "Os media têm de assumir parte da culpa"
    5:05

    A verdade sobre a mentira

    Ajudou a BBC a dar corpo ao projeto digital. Nic Newman é um britânico atento ao que se passa no mundo da informação, mais que tudo ao que circula dentro do online. Estratega e orador, é hoje em dia membro do importante grupo de investigadores do Instituto Reuters. Dá apoio a empresa de media a trilharem um caminho de sucesso dentro do digital, focado no universo das noticias, do desporto e das artes. Recorda, na entrevista que deu à SIC, no centro de Londres, a propaganda política que determinou o resultado do Brexit, o efeito das Fake News e o que é preciso fazer no futuro. "Os media têm de assumir parte da culpa", diz Nic Newman.

  • Autor do site Imprensa Falsa defende a sátira como verdade anestesiada
    16:46

    A verdade sobre a mentira

    Abriu a janela do Imprensa Falsa há pouco mais de uma década. José Pedro Silva, humorista, é um leitor atento da atualidade e um autor satírico com assinatura de referência no mundo online e offline. Ataca as notícias falsas que descreve como burlas. Defende a sátira, como uma verdade anestesiada, com alguma dose de factos. O site passou de blogue a publicação com presença destacada no Facebook.

  • Paul Horner diz que apoiantes de Trump são mais fáceis de convencer
    3:50

    A verdade sobre a mentira

    É responsável por alguns dos sites mais famosos e polémicos nos Estados Unidos (O abcnews.com.co, cópia do verdadeiro site da ABC News, é um dos exemplos), dos quais saíram as principais notícias falsas, durante a campanha eleitoral norte-americana. Paul Horner contou a piada embrulhada em mentira contra a figura de Hillary Clinton. Mais que tudo, diz, porque os apoiantes de Trump são mais fáceis de convencer. Atraiu milhões para as falsas notícias que produziu. Como a que dava conta de manifestantes anti-Trump que estariam a ser pagos para protestarem em comícios republicanos. Na entrevista à SIC, assume ser contra o atual Presidente, diz que fez tudo em nome do lucro e recusa a ideia de ter contribuído para a eleição do multimilionário. Vai mais longe e diz: "vou continuar porque posso viver disto. Tenho muitos fãs. (As Fake News) vão levar mais pessoas a questionarem-se e ajudar à distituição do Donald Trump."

  • "Nunca a comunicação social teve níveis de credibilidade tão baixos"
    15:28

    A verdade sobre a mentira

    Fez parte da equipa que fundou o jornal Público, em finais dos anos 80, um dos nomes e rostos do Observador, que ajudou também a fundar, José Manuel Fernandes é um histórico no jornalismo português. Tem uma longa carreira que atravessa a imprensa, em papel e no digital. "Nunca nas décadas mais recentes, a comunicação social teve níveis de credibildiade tão baixos", realça na entrevista que deu à SIC. Sublinha que as notícias falsas, os boatos, sempre por nos andaram a espreitar. "Não é necessário haver redes sociais para estes dramas acontecerem". Aponta para algo que diz ser decisivo em todo este contexto: a fragmentação do espaço público.

  • Investigadora detetou estratégias de contrainformação durante as legislativas de 2011
    5:02

    A verdade sobre a mentira

    Doutoranda em Ciências Sociais e Mestre em Comunicação Social, Mafalda Lobo há muito que acompanha a política e os media. Passou a pente fino as eleições legislativas de 2011, atenta à comunicação política digital, às redes sociais e à forma como a cidadania se constrói em redor de tudo isto. Anotou a existência de estratégias de contrainformação e sublinha a importância de haver uma triagem dos conteúdos, de forma a que o cidadão consiga separar o trigo do joio. Dessas eleições no início da década, fica a ideia de que poderia haver mais contacto com o poder político. "Não havia feedback, as pessoas sentiram-se frustradas. perceberam que não era o candidato que estava ali", diz.

  • Finalistas de Comunicação Social apanhados de surpresa com o que circula na Net
    1:38

    A verdade sobre a mentira

    Já perto de fecharem o livro do ensino universitário, preparam-se para bater à porta do jornalismo. Alunos do 3º ano de Comunicação Social, da Universidade Nova de Lisboa, assistem a uma aula sobre notícias falsas. Apanhados de surpresa com algumas das armadilhas que circulam na rede, espalhadas em plataformas como o Facebook ou o Twitter. Alguns reconhecem que já partilharam falsas notícias, estórias sem um fundo de verdade. Muitos dizem ter cuidado com o que colocam nos espaços pessoais, outros garantem que duvidam de muito do que se encontra nas redes sociais. Quase todos não esperavam encontrar parte do que lhes foi mostrado, durante esta aula.

  • Os jornalistas "têm de defender a sua dama, mesmo que já não haja ninguém a ouvi-los"
    9:50

    A verdade sobre a mentira

    "Antes de ser uma crise do jornalismo, é uma crise dos leitores". É esta a convicção do jornalista, comentador, escritor. Miguel Sousa Tavares não tem Facebook. "É uma atitudade se sanidade mental. Porque eu gosto e preciso de estar informado e sei, por princípio, que se for ler coisas nas redes sociais sou capaz de acreditar naquilo e aquilo é capaz de ser falso", realça nesta conversa com a SIC. De forma simples e clara, realça o que entende que precisa de ser feito: "A coisa principal é os jornalistas meterem na cabeça que estão num combate de trincheiras e não podem arredar pé. Têm de defender a sua dama, mesmo que já não haja ninguém a ouvi-los".

  • Os políticos e as notícias falsas

    A verdade sobre a mentira

    É a política um dos alvos da sátira, do humor, mas também da mentira e falsidade. São, igualmente, muitos os deputados, entre os 230 que estão na Assembleia da República, ou entre os dirigentes partidários, que recorrem às redes sociais para ver o que se escreve e para escrever o que há para se dizer. Alguns dos rostos que têm uma voz ativa no mundo online relatam à SIC histórias, momentos, curiosidades e preocupações. As notícias falsas apresentam-se como um perigo para o funcionamento da democracia, às quais a política não fica imune.

  • "Se Portugal não confia no sistema judicial de Angola não deve fazer negócios com o país"
    18:27

    País

    O julgamento do caso Fizz arrancou esta segunda-feira. Victor Silva, diretor do Jornal de Angola, esteve na Edição da Noite para analisar como estão as relações entre Portugal e Angola, numa altura em que Manuel Vicente viu recusada a transferência do processo para o país angolano. Victor Silva afirmou que a decisão de "separar os processos vai de encontro aos interesses dos dois estados" e vai mais longe ao dizer que se Portugal "não confia no sistema judicial de Angola então não pode fazer negócios com o país".

  • Será este o "momento mais Ronaldo" de sempre?

    Desporto

    Cristiano Ronaldo é protagonista de mais um momento que corre nas redes sociais. Depois de marcar o sexto golo do Real Madrid frente ao Desportivo da Corunha, o jogador português ficou ferido no rosto e foi obrigado a abandonar o campo. Mas antes, mesmo com a cara ensanguentada, pediu um telemóvel com "espelho" para ver a extensão do corte. Há quem brinque com a situação, dizendo que Ronaldo levou a sua obsessão com a sua imagem a um novo nível, mas há também quem desvalorize a situação.

    SIC

  • Democratas aceitam compromisso para acabar com shutdown nos EUA

    Mundo

    Os senadores democratas aceitaram esta segunda-feira um acordo orçamental provisório que vai permitir acabar com a paralisação parcial do Governo federal dos Estados Unidos, situação conhecida como shutdown, anunciou o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer.

  • O jogador de futebol que se tornou Presidente de um país

    Mundo

    George Weah tomou posse esta segunda-feira como Presidente da Libéria. Foi a segunda vez que o antigo futebolista concorreu ao cargo, depois de em 2005 ser derrotado pela candidata Ellen Johnson-Sirleaf. Foi o primeiro e único futebolista africano a receber uma Bola de Ouro. A história de George Weah também passou por Portugal, onde ficou conhecido pela agressão ao ex-jogador do FC Porto, Jorge Costa, em 1996.

    Ana Rute Carvalho

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC