sicnot

Perfil

CAPA_SITE_02.jpg

Cartaz

SEGUNDA A SEXTA 14:30

Cartaz

À descoberta de um drama israelita

Cartaz Cinema

À descoberta de um drama israelita

Consagrado como melhor filme israelita de 2014, vencedor de vários prémios em festivais, “Gett: O Processo de Viviane Amsalem” já está nas salas portuguesas.João Lopes comenta as principais novidades da semana, incluindo “Citizenfour”, o documentário sobre Edward Snowden que, há poucas semanas, recebeu o Óscar de melhor documentário.

“Gett: O Processo de Viviane Amsalem” narra o dramático divórcio de um casal em Israel, condicionado pela tradição segundo a qual é o marido o único a poder decidir a respectiva consumação. Ronit Elzabetz é a notável intérprete principal, partilhando também a realização com o seu irmão Shlomi Elzabetz.

 

Tal como “Gett”, “Corre, Rapaz, Corre”, de Pepe Danquart, também foi exibido na recente Mostra de Cinema e Cultura Judaica. Neste caso, é-nos relatada a odisseia trágica de um rapazinho que, em plena Segunda Guerra Mundial, tenta escapar à repressão dos nazis, fugindo do gueto de Varsóvia.

 

A dupla Glenn Ficarra/John Requa, responsável por “Eu Amo-te Philip Morris” (2009), continua a encenar histórias mais ou menos bizarras, com um desconcertante sentido de humor — é o caso de “Focus”, uma comédia sobre um par de vigaristas, interpretada por Will Smith e Margot Robbie.

 

Nicole Kidman está de volta com “Antes de Adormecer”, um “thriller” centrado na perturbante situação de uma mulher que se esquece de tudo o que viveu no dia anterior, a ponto de não ter a certeza se o homem com quem vive é, de facto, o seu marido... Rowan Joffe assina a realização.

 

O cinema documental volta a interessar-se pelo mundo da dança. Em “Ballet 422”, Jody Lee Lipes acompanha um jovem bailarino do New York City Ballet, a trabalhar na sua primeira encenação — é um filme que tem tanto de reportagem como de retrato intimista.

 

Vencedor do Oscar de melhor documentário, “Citizenfour” dá-nos conta do processo iniciado por Edward Snowden, revelando documentos relacionados com os sistemas de segurança da administração americana — a realização pertence a Laura Poitras.

 

* Banda sonora: “Gimme Shelter” (1970), de Albert Maysles, David Maysles e Charlotte Zwerin

> “Love in Vain”, The Rolling Stones

  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.