sicnot

Perfil

CAPA_SITE_02.jpg

Cartaz

SEGUNDA A SEXTA 14:30

Cartaz

Reencontro com os clássicos do cinema russo

CARTAZ CINEMA

Reencontro com os clássicos do cinema russo

“O Homem da Câmara de Filmar” (1929), de Dziga Vertov, é um dos grandes clássicos do cinema russo a integrar um ciclo agendado, para já, para Lisboa e Porto. João Lopes comenta as principais novidades da semana, incluindo “Truman”, o filme que venceu os prémios Goya do cinema espanhol.

Das experiências documentais de “O Homem da Câmara de Filmar” à grandiosidade espectacular de “Guerra e Paz” (1966), de Sergei Bondarchuk, o cinema russo — desde o período mudo até aos anos que antecederam a Perestroika — é tema de um ciclo de 19 títulos. Sergei Eisenstein, Aleksandr Dovzhenko, Marlen Khutsiev, Elem Klimov e Nikita Mikhalkov são alguns dos autores representados.

“Suburra”, de Stefano Sollima, emerge como uma das principais revelações da mais recente produção italiana: uma crónica dramática de uma teia de golpes que envolve as famílias organizadas do crime e alguns protagonistas da cena política.

Consagrado com cinco prémios Goya, incluindo o de melhor filme espanhol de 2015, “Truman”, de Cesc Gay, é a história tocante de um homem que, sabendo que sofre de uma doença terminal, tenta garantir que o seu cão não seja abandonado. Com excelentes interpretações de Ricardo Darín e Javier Cámara.

William Shakespeare volta a ser pretexto para uma grande produção: o australiano Justin Kurzel dirige uma nova versão de “Macbeth”, com Michael Fassbender e Marion Cotillard nos papéis principais.

Também com Michael Fassbender é o destaque da semana no espaço do DVD: “Steve Jobs”, de Danny Boyle, apresenta uma visão intensa da vida e obra do lendário mago da Apple.

* Banda sonora: “Glengarry Glen Ross” (1992), de James Foley

> “Blue Skies”, Dr. John

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05