sicnot

Perfil

Cartaz

Eva Green é a nova “musa” de Tim Burton

Eva Green é a nova “musa” de Tim Burton

João Lopes

João Lopes

Crítico de cinema

O cinema fantástico de Tim Burton está de volta com a adaptação do best-seller “A Casa da Senhora Peregrine para Crianças Peculiares”. João Lopes comenta as principais novidades da semana, destacando ainda o lançamento de “Loucamente”, um melodrama do italiano Paolo Virzì.

Tim Burton parece ter encontrado uma nova “musa” na francesa Eva Green. É ela que protagoniza “A Casa da Senhora Peregrine para Crianças Peculiares”, segundo o livro de Ransom Riggs: uma aventura através de mundos fantásticos, tendo por pano de fundo as convulsões da Segunda Guerra Mundial.

Fiel à melhor tradição melodramática da produção italiana, Paolo Virzì encena a odisseia de duas mulheres internadas numa instituição psiquiátrica. O resultado é um filme de perturbantes emoções, dominado pelas interpretações de Valeria Bruni Tedeschi e Micaela Ramazzotti (mulher do cineasta).

Ainda de Paolo Virzì, podemos ver ou rever “Capital Humano” (2013), já disponível em DVD. Valeria Bruni Tedeschi é também protagonista, num labirinto de histórias em que as diferenças sociais se revelam através de um esquema suspeito de circulação de capitais.

Ao DVD chegou também ”Cavaleiro de Copas” (2015), o título com que Terrence Malick encerrou a trilogia iniciada com “A Árvore da Vida” (2011) e “A Essência do Amor” (2012) — uma deambulação metafísica tendo por pano de fundo os bastidores de Hollywood; com Christian Bale, Cate Blanchett e Natalie Portman.

* Banda sonora: “The Beatles: Eight Days a Week” (2016), de Ron Howard

> “Dizzy Miss Lizzy’”, The Beatles

  • A homenagem a Mário Soares no congresso do PS
    2:30
  • Costa defende legalização da eutanásia como forma de "alargar a liberdade"
    0:42
  • Duquesa de Sussex já tem brasão

    Harry & Meghan

    O Palácio de Kensington apresentou esta sexta-feira o brasão da Duquesa de Sussex, Meghan Markle. O brasão foi criado pelo College of Arms mas teve a ajuda da duquesa para que este fosse "pessoal e representativo".

    SIC