sicnot

Perfil

Cartaz

Cinema italiano encena drama na Albânia

Cartaz de Cinema

Cinema italiano encena drama na Albânia

João Lopes

João Lopes

Crítico de cinema

Alba Rohrwacher é a actriz principal de “Virgem Prometida”, um drama que começa numa zona montanhosa da Albânia. João Lopes comenta as principais novidades da semana, destacando a estreia da produção alemã “Irmãs Amadas”, que evoca a vida amorosa do poeta Frierich Schiller, e a adaptação do best-seller “A Rapariga no Comboio”.

“Virgem Prometida”, de Laura Bispuri, encena a trajectória dramática de uma mulher albanesa que, por recusar submeter-se a um casamento imposto pela tradição, é compelida a uma existência sem sexo em que, além do mais, se deve comportar como um homem — um filme italiano, invulgar e perturbante, com Alba Rohrwacher no papel central.

A produção alemã “Irmãs Amadas”, de Dominik Graf, evoca o poeta Friedrich Schiller, em particular através da sua relação com duas irmãs — uma história pré-romântica sobre uma utopia amorosa que defende um retorno aos valores individuais e à comunhão com a natureza.

“Boi Neon”, de Gabriel Mascaro, é um raro exemplo da actual produção brasileira que consegue chegar ao mercado português. Nele se encenam as chamadas “vaquejadas” (espectáculos com cavalos e bois) do nordeste brasileiro, num tom dramático recheado de elementos documentais.

Com Geoffrey Rush, Miranda Otto e Sam Neill, “A Filha” aposta na possibilidade de adaptar a peça “O Pato Selvagem”, do norueguês Henrik Ibsen (1828-1906), ao nosso presente — Simon Stone assina adaptação e a realização.

Esta é também a semana em que chega às salas escuras a adaptação do best-seller de Paula Hawkins, “A Rapariga no Comboio” — uma proposta de mistério e “suspense” dirigida por Tate Taylor, o realizador de “As Serviçais” (2011). Emily Blunt lidera o elenco que inclui, entre outros, Justin Theroux, Haley Bennett e Rebecca Ferguson.

Entretanto, ao DVD já chegou “The Revenant – O Renascido”, o filme de Alejandro G. Iñárritu, com Leonardo DiCaprio, que aposta numa revisitação dos tempos dramáticos da expansão para Oeste. Entre os extras, inclui-se um documentário sobre as agrestes condições da rodagem em cenários naturais.

* Banda sonora: “O Bebé de Bridget Jones” (2016), de Sharon Maguire

> “I Heard it Through the Grapevine’”, Marvin Gaye

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.