Cartaz

Superprodução evoca drama de guerra

Superprodução evoca drama de guerra

João Lopes

João Lopes

Crítico de cinema

A gigantesca manobra de retirada das tropas aliadas de Dunquerque, em 1940, é o tema do novo filme de Christopher Nolan. João Lopes comenta as novidades da semana, destacando ainda a edição em Blu-ray do clássico “Há Lodo no Cais”, de Elia Kazan.

“Dunkirk” é uma superprodução apostada em reconstituir a dramática retirada das tropas Aliadas de Dunquerque, em Maio/Junho de 1940 — fiel ao seu gosto pelo grande espectáculo, Christopher Nolan aposta também, assim, na renovação do filme de guerra.

Baseado no romance de Nikolai Leskov, publicado em 1865, o britânico William Oldroyd dirigiu “Lady Macbeth”, transferindo a acção para a Inglaterra rural de meados do séc. XIX: um drama de paixões violentas, com Florence Pugh no papel central.

Drama de muitas nuances sociais e emocionais, “Moonlight”, de Barry Jenkins, foi o grande vencedor dos Oscars referentes à produção de 2016, atribuídos no passado mês de Fevereiro. A respectiva edição em DVD e Blu-ray já está disponível no mercado.

Também em Blu-ray, podemos redescobrir “Há Lodo no Cais” (1954), de Elia Kazan, título marcante nas transformações de Hollywood na década de 50, em particular através da integração dos actores vindos do Actors Studio — Marlon Brando ganhou aqui o seu primeiro Oscar.

* Banda sonora: “Carros 3” (2017), de Brian Fee > “Glory Days”, Andra Day