sicnot

Perfil

CAPA_SITE_02.jpg

Cartaz

SEGUNDA A SEXTA 14:30

Cartaz

Filme francês recria clássico da literatura

Cartaz Cinema

Filme francês recria clássico da literatura

João Lopes

João Lopes

Crítico de cinema

Judith Chemla é a protagonista de “A Vida de uma Mulher”, nova adaptação do clássico “Une Vie”, de Guy de Maupassant, publicado em 1883. João Lopes comenta as principais novidades do mercado, incluindo a estreia de um “blockbuster” com Charlize Theron e a edição, em Blu-ray, de um filme de Stanley Kubrick.

Maupassant volta a ser o ponto de partida de um belo filme francês: “A Vida de uma Mulher” retrata a odisseia de Jeanne, no século XIX, face às regras sociais e conjugais que limitam a sua liberdade. A realização é de Stéphane Brizé, o cineasta de “A Lei do Mercado” (2015).

“Clash”, de Mohamed Diab, evoca a situação do Egipto, em 2013, pouco depois do afastamento do Presidente Morsi — um retrato político e um drama humano que, no essencial, se passa no interior de um veículo para transporte de presos.

Charlize Theron continua a escolher papéis muito particulares. No caso de “Atomic Blonde, de David Leitch, ela é uma agente especial dos serviços secretos britânicos — a acção passa-se em Berlim, no momento da queda do Muro, e quase se pode dizer que estamos perante um versão “feminina” dos clássicos filmes de James Bond.

Na área dos DVD, podemos ver como Marco Bellocchio continua a dar cartas na actual produção italiana: “Sonhos Cor de Rosa” (2016) centra-se no drama de um homem, de profissão jornalista, assombrado pelas memórias da infância e da sua relação com a mãe.

No Blu-ray, continuamos a redescobrir clássicos do cinema americano: “Dr. Strangelove”, produzido em 1964, é uma comédia muito negra de Stanley Kubrick sobre a Guerra Fria e a utilização da bomba atómica — além do mais, um filme célebre pela genial presença de Peter Sellers, interpretando nada mais nada menos

que três personagens: o Dr. Estranhomar, fanático da bomba, um oficial do exército britânico e o Presidente dos EUA.

* Banda sonora: “Febre de Sábado à Noite” (1977), de John Badham

> “Stayin’ Alive”, Bee Gees

  • Nunca mais
    9:16