sicnot

Perfil

Layer 4.jpg

Contas Poupança

4ª FEIRA JORNAL DA NOITE

REPETE: SÁBADO 7:20, DOMINGO 9:20, TERÇA 9:45

Contas Poupança

As novas regras de fidelização nas telecomunicações

As novas regras de fidelização nas telecomunicações

Este verão, o Governo obrigou as empresas de telecomunicações a oferecerem sempre alternativas de contratos sem fidelização. A nova lei deveria servir para haver mais liberdade de escolha. O Contas Poupança fez as contas e verificou que afinal a liberdade é tão cara, que os clientes quase não têm outra opção senão continuarem presos às operadoras, durante dois anos. Conheça as novas regras.

  • A lei que permite rescisão de contratos sem penalização
    5:47

    Contas Poupança

    Quando fazemos um contrato de telecomunicações normalmente é-nos exigida uma fidelização de dois anos. Mas em dois anos podem acontecer muitos imprevistos. E quando o cliente tenta terminar o contrato, a resposta é "Não". O Contas-Poupança mostra-lhe uma lei que o pode ajudar a evitar penalização pelo fim do contrato.

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.