sicnot

Perfil

E se fosse consigo?

Há ou não racismo em Portugal?

E Se Fosse Consigo?

Há ou não racismo em Portugal?

E SE FOSSE CONSIGO?, o programa que a SIC vai estrear na segunda feira, 18 de Abril, pelas 20:50, lançou já o debate: somos ou não um país racista? De que forma se revelam e manifestam esses comportamentos?

Centenas de milhares de pessoas já viram os vídeos de lançamento do programa E Se Fosse Consigo?

O debate chegou em força às redes sociais, as opiniões sobrepõem-se ou dividem-se, como em todos os assuntos pouco estudados e discutidos.

Há a convicção de que os portugueses se consideram um povo tolerante e integrador. Mas será mesmo assim?

Nas relações sociais, no momento de arranjar emprego ou de fazer a lista de deputados, será que a cor da pele não pesa nos critérios, nas escolhas, nas decisões?

Mesmo antes da estreia, a discussão sobre o tema está em cima da mesa. A forma como o Senhor Silva, cozinheiro num restaurante em Lisboa, analisa a questão (no vídeo) traduz certamente o que muitos portugueses pensam sobre o assunto.

Os resultados de uma sondagem que a SIC vai divulgar no Primeiro Jornal de sábado confirmam a tese de que em Portugal é política e socialmente incorreto assumir e defender publicamente comportamentos racistas.

Ao contrário de outros países, em que a discriminação racial entrou de forma clara no discurso político (o exemplo mais brutal é o programa do The Finns Party, na Finlândia, que chegou a defender a esterilização dos emigrantes africanos), por cá, a grande maioria dos entrevistados diz rejeitar o racismo. “E se um dia a sua filha lhe aparecer em casa com um namorado de outra cor?”. O incómodo da maioria é evidente nas respostas.

  • Há ou não racismo em Portugal?
    1:55

    Racismo

    O racismo é o tema do primeiro programa E SE FOSSE CONSIGO?, a estrear na segunda feira, 18 de Abril, pelas 20:50, em simultâneo na SIC e na SIC Notícias. Logo a seguir, a SIC Notícias, abre espaço a um debate, moderado pela coordenadora e apresentadora do programar Conceição Lino. Mesmo antes da estreia, a discussão sobre o tema, o racismo em Portugal, está lançado.

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.