sicnot

Perfil

Eleições EUA

Obama considera "ridículas" alegações de Trump sobre manipulação de eleições

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, considerou ridículas as alegações do candidato republicano Donald Trump, de que as eleições presidenciais vão ser manipuladas.

"Não sei nem por onde começar a responder a essa questão", disse Obama, questionado por um jornalista sobre as declarações de Donald Trump.

"Se Trump está a sugerir que existe uma teoria da conspiração que está a ser programada em todo o país (...) isso é ridículo", declarou o Presidente aos jornalistas, em declarações citadas pela agência France Presse.

Donald Trump afirmou que a eleição presidencial de novembro contra Hillary Clinton pode ser falseada, numa altura em que as sondagens não dão resultados positivos ao candidato republicano.

Numa conferência de imprensa no Pentágono antes das suas férias de verão, o Presidente Obama sublinhou que as eleições não são manipuladas.

"Se Trump chegasse ao dia das eleições com 10 a 15 pontos de vantagem [nas sondagens] e acabasse por perder, então poderia levantar algumas dúvidas, mas, por enquanto, isso não aconteceu", afirmou Obama, citado pela agência noticiosa Efe.

O Presidente lembrou que a responsabilidade de estabelecer os mecanismos eleitorais, como a colocação das urnas, é dos Estados e das autoridades locais e que o papel do governo federal se limita a assegurar que não há máquinas que possam ser pirateadas nem processos que não respeitem os direitos civis.

"Que o senhor Trump sugere que há uma conspiração em todo o país, incluindo em Estados como o Texas, onde os democratas não estão no cargo, isso é ridículo", declarou Obama.

Lusa

  • Clint Eastwood escolhe Donald Trump
    1:40

    Eleições EUA 2016

    Clint Eastwood é respeitado pelo seu trabalho no cinema. Na política, nunca escondeu ser um homem conservador. Eastwood anunciou agora que prefere Donald Trump a Hillary Clinton. O realizador e ator diz que é um exagero que Trump seja considerado racista e elogia a forma de comunicar do republicano.

  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC