sicnot

Perfil

Grande Reportagem Interativa

"Ler e CÃOpreender"

As autoras do "Ler e CÃOpreender" escrevem, para a Grande Reportagem SIC, sobre os objectivos e os resultados do primeiro ano de implementação deste projecto de Terapia Assistida por Animais na Escola EB1 Santo António de Tercena, no concelho de Oeiras.

O Ler e CÃOpreender decorreu no ano letivo de 2014-15. A concretização deste projeto teve por base a parceria de duas instituições, uma da área da educação e outra da área da saúde, respetivamente o Agrupamento de Escolas de Linda-a-Velha e Queijas e a Casa de Saúde do Telhal.

As responsáveis pelo projeto foram a professora de educação especial, Filipa Nunes, e a técnica especializada em Terapia Assistida por Animais, Carla Azevedo.
Os beneficiários foram os alunos do 1º ciclo do ensino básico com dificuldades de aprendizagens ao nível da leitura e interpretação, que frequentam as aulas de educação especial, ao abrigo do decreto-lei 3/2008, de 7 de janeiro.

O animal selecionado foi o cão, devidamente treinado, com os cuidados de saúde necessários atestados pelo veterinário, e com as características específicas que permitem o trabalho que se pretende desenvolver. O cão foi um intermediário, uma ponte entre as técnicas e os utentes. A utilização de cães apresenta uma diversidade de possibilidades de trabalho. Os cães proporcionam silenciosamente um apoio psicológico e estão 100% disponíveis para interagir. Têm uma capacidade incrível de criar laços com as pessoas -- neste caso, com as crianças -- rápida e facilmente. Não fazem distinção de raça, sexo, características, patologia.

Os objetivos específicos deste projeto foram os seguintes:

-Promover as competências leitoras e a estimulação cognitiva;
-Criar um elevado nível de motivação das crianças para a leitura;
-Aumentar o tempo de concentração;
-Estimular a memória, a orientação visual, espacial e temporal e a capacidade de raciocínio.
-Desenvolver nas crianças a capacidade de uma "escuta" atenta;
-Ajudar as crianças com dificuldades ao nível da leitura a autonomizar as suas competências leitoras, contribuindo para o seu sucesso escolar;
-Capacitar o aluno das competências e instrumentos que lhe permitam a compreensão, a reflexão e o prazer de ler um texto.

A parceria destas duas instituições, através deste projeto, proporcionou a concretização de objetivos ao nível das aprendizagens, socialização e entreajuda.
As sessões de TAA basearam-se em dinâmicas de leitura individual (aluno lê apenas para o cão) ou em pequeno grupo, em função das dificuldades e progressos apresentados pelos alunos. Decorreram na biblioteca da escola, na sala de educação especial e no espaço de recreio da escola.

A colaboração do cão foi mediatizada pela técnica, tendo em conta a atividade desenvolvida em cada sessão, podendo o cão ter uma participação mais passiva (de ouvinte) ou mais ativa, de interação com o aluno, como forma de exploração e interpretação do que lê.

A avaliação do projeto foi feita através da aplicação de dois instrumentos:

- Avaliação das competências leitoras de cada um dos alunos, através do preenchimento de um gráfico de fluência e precisão leitora, no início do projeto e no final do mesmo.
- Avaliação do projeto por parte dos alunos, quanto ao seu grau de satisfação pela participação no mesmo.

Ambas as avaliações permitiram constatar resultados francamente positivos.

Filipa Nunes
Professora de Educação Especial

Carla Azevedo
Técnica especializada em Terapia Assistida por Animais

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.