sicnot

Perfil

o meu bairro.JPG

O meu bairro

3ª FEIRA NO JORNAL DA NOITE

O meu bairro

O meu bairro: Bairro da Ponte

O meu bairro: Bairro da Ponte

O Bairro da Ponte foi durante muitos anos uma das principais portas de entrada em Lamego. Hoje em dia já não tem a vida de outros tempos, mas mantém segredos e tradições de uma comunidade que vive em família.

  • O meu bairro: Barreta
    11:25

    O meu bairro

    De bairro de pescadores e conserveiras, a Barreta, em Olhão, tornou-se num dos lugares mais apetecíveis do Algarve. A arquitetura , a localização e a vizinhança têm convencido muita gente, a maioria estrangeiros, a comprar e remodelar muitas casas. Agora, ao lado dos moradores mais antigos, há uma nova vaga de proprietários.

  • O meu bairro: Luz na Guarda
    10:40

    O meu bairro

    Situado na periferia da Guarda, o Bairro da Luz concentra cerca de cinco mil entre os 26 mil habitantes de toda a cidade. Podia ser apenas um dormitório, mas não é, porque existe uma Associação que promove atividades e uma Casa de Saúde que dá tanto ao bairro como recebe.

  • Antiga quinta dos Bentos deu origem ao bairro da Luz
    2:11

    O meu bairro

    A rubrica "O Meu Bairro" do Jornal da Noite da SIC vai levar-nos ao norte do país. Situado na periferia da Guarda, o Bairro da Luz concentra cerca de cinco mil habitantes. Podia ser apenas um dormitório, mas não é: existe um associação que promove atividades e uma Casa de Saúde, que dá tanto ao bairro, como recebe.

  • O meu bairro: Alfama
    11:56

    O meu bairro

    Dizem que é o mais antigo de Lisboa e um dos mais típicos da capital mas nos últimos anos Alfama tem mudado muito com a chegada de novos residentes, na sua maioria estrangeiros, que ficam por pouco tempo e que mudam a forma como ali se vive.

  • O meu bairro: São João em Chaves
    11:16

    O meu bairro

    Começou hoje no Jornal da Noite uma nova rubrica dedicada aos bairros portugueses. Na estreia, damos a conhecer um dos bairros mais pequenos e envelhecidos do país. O bairro de S. João, em Chaves, não tem sequer 50 habitantes, mas é característico pela sua intensa prática religiosa. As pessoas mais velhas têm altares em casa e na capela do bairro reza-se o terço todos os dias.