sicnot

Perfil

SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

Perdidos e Achados

Perdidos e Achados

Recupera e actualiza histórias, pessoas e locais que foram notícia e de que nunca mais ouvimos falar.

  • A fuga dos PIDES
    1:16

    Perdidos e Achados

    Ao final do dia 29 de Junho de 1975, 89 agentes da PIDE fugiam da cadeia de Vale de Judeus, em Alcoentre. Mais de 40 anos depois, Perdidos e Achados recupera um dos acontecimentos do Verão Quente em Portugal. Hoje no Jornal da Noite e conteúdos exclusivos no site.

  • "Os pides fugiram daqui!"
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

  • Os 50 anos de carreira de Tozé Brito
    18:21

    Perdidos e Achados

    Vozes que não se esquecem, as que ainda hoje cantam as canções escritas por Tozé Brito. Ele próprio intérprete, além de compositor. Tozé Brito está este ano a celebrar 50 anos de carreira, que vale a pena revisitarmos no Perdidos e Achados. É provável que alguns não saibam, mas é ele o autor de alguns dos maiores sucessos de sempre da música nacional.

    Perdidos e Achados

  • A história do Metro de Lisboa
    20:00

    Perdidos e Achados

    O Perdidos e Achados faz uma viagem pela história do Metropolitano de Lisboa. Já lá vão quase 58 anos desde que começou a circular debaixo da capital. Inaugurado com 11 estações, hoje o Metro de Lisboa tem 56 e transporta por ano mais de 150 milhões de passageiros.

    Perdidos e Achados

  • Um Lugar ao Sol
    17:05

    Perdidos e Achados

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

    Perdidos e Achados

  • Hip Hop em Portugal: 14 anos depois
    24:24

    Perdidos e Achados

    O Hip Hop começou a afirmar-se em Portugal há 20 anos como uma cultura e atitude, e com nomes como Boss AC, Sam The Kid, entre muitos outros que começavam a afirmar-se na cena musical. Por essa altura, eles explicaram como tinham começado, o que os movia e para onde queriam ir. O que aconteceu quase duas décadas depois com estes novos artistas nacionais a ver neste Perdidos e Achados.

  • O Hip Hop em Portugal, 14 anos depois
    1:52

    Perdidos e Achados

    No início do século XXI, o Hip Hop em Portugal estava a afirmar-se como uma atitude. Em 2003, a SIC ouviu alguns dos fundadores de um movimento que tinha conquistado, décadas antes, vários públicos sobretudo em países como os Estados Unidos da América e o Reino Unido. Catorze anos depois, Perdidos e Achados vai ao encontro de músicos que hoje têm de aprender a viver com novos temas e públicos mais abertos à mistura de géneros musicais.    

  • Cinquenta dias no deserto
    19:58

    Perdidos e Achados

    A Frente Polisário trava uma batalha pela independência do Saara Ocidental há mais de quatro décadas. Ao longo dos anos abandonaram a luta armada mas fizeram vários reféns para chamar a atenção do mundo para a causa da autodeterminação dos Saaraui. Em 1980, um grupo de 15 pescadores portugueses foi sequestrado enquanto pescava na região. Não sofreram qualquer tipo de violência mas tiveram de passar 50 dias no deserto. O Perdidos e Achados falou com o único pescador que ainda é vivo e recorda toda a história.

  • Cinquenta dias no deserto
    0:35

    Perdidos e Achados

    A Frente Polisário trava uma batalha pela independência do Saara Ocidental há mais de quatro décadas. Abandonaram a luta armada mas, ao longo dos anos, fizeram vários reféns para chamar a atenção do mundo para a causa da autodeterminação dos Saaraui.