Grande Reportagem SIC

O Mal Entendido: as doenças a que chamamos cancro

Na próxima década, metade da população portuguesa terá uma doença oncológica. Mas o cancro será, cada vez menos, uma doença mortal. A medicina e a ciência avançam no diagnóstico, no tratamento e na prevenção. Se aplicássemos o que já sabemos sobre prevenção e diagnóstico precoce, a mortalidade por cancro reduziria mais de 50%. Entender melhor as muitas doenças a que chamamos cancro é um ponto de partida. A SIC procura respostas para as grandes perguntas sobre cancro em cinco Grandes Reportagens, emitidas às terças-feiras, no Jornal da Noite. "O Mal Entendido: As doenças a que chamamos cancro" é um trabalho de Miriam Alves, Rogério Esteves, Rui Berton e Diana Matias, com grafismo de Paulo Alves e Rui Aranha e ilustrações de António Jorge Gonçalves.

Capítulo 1 - "Não há doenças, há doentes", dia 8 de Maio, no Jornal da Noite da SIC
O primeiro capítulo cruza duas viagens: a viagem da ciência e da medicina até às mais recentes conquistas da imunooncologia, que passam por apetrechar o sistema imunitário de cada doente para combater o seu próprio tumor. E a viagem pessoal de Luís Mendes, que recebeu um diagnóstico de mieloma múltiplo aos 35 anos. Conduzidos por quem vive a doença, por quem a trata e por quem a investiga, procuramos respostas para as grandes perguntas sobre a doença que mais tem aumentado em todo o mundo: o que é o cancro? Qual é a importância da relação entre médico e doente? Como se lida com a notícia e com a incerteza? Que caminhos se trilham nos laboratórios? O que podemos fazer, enquanto sociedade, para reduzir o enorme impacto da doença oncológica?

Capítulo 2 - "Os números", dia 15 de Maio, no Jornal da Noite da SIC
Ao longo dos últimos meses, uma equipa de reportagem da SIC procurou respostas para as grandes perguntas sobre cancro, a doença que mais tem aumentado no mundo. O que é o cancro? Como se lida com a notícia e com a incerteza? Que caminhos se trilham nos laboratórios? Quais são os novos tratamentos? O que podemos fazer, enquanto sociedade, para reduzir o enorme impacto da doença oncológica?
No segundo capítulo deste conjunto de cinco grandes reportagens dedicamo-nos aos números: como se explica o aumento da incidência? Como se prepara o país para dar resposta ao aumento de doentes? Como enfrentar a escalada de preços dos novos medicamentos? Como garantir que todos teremos acesso aos melhores tratamentos? Como garantir que as promessas revolucionárias do tratamento personalizado do cancro não nos conduzem, no reverso da medalha, a uma medicina para os que podem ter acesso a tudo e outra para os que não podem ter acesso a tudo?

Capítulo 3 - "As pessoas", dia 22 de Maio, no Jornal da Noite da SIC

No terceiro capítulo da Grande Reportagem "O Mal Entendido: as doenças a que chamamos cancro" dedicamo-nos às pessoas. Às pessoas que se sentam diante de um médico num momento de aflição. E às pessoas que, dentro das batas, lidam com a perigosa falta de tempo para dedicar a cada doente, com os absurdos caminhos burocráticos que limitam a qualidade e a quantidade do que podem oferecer aos doentes, com a falta de recursos humanos, com a falta de planificação e de estratégia a longo prazo. E as diferenças entre o que podem oferecer aos doentes, dependendo da zona do país onde vivem.

  • Hoje na SIC: O Mal Entendido: as doenças a que chamamos cancro - Capítulo 3
    0:54

    Grande Reportagem SIC

    No terceiro capítulo da Grande Reportagem "O Mal Entendido: as doenças a que chamamos cancro" dedicamo-nos às pessoas. Às pessoas que se sentam diante de um médico num momento de aflição. E às pessoas que, dentro das batas, lidam com a perigosa falta de tempo para dedicar a cada doente, com os absurdos caminhos burocráticos que limitam a qualidade e a quantidade do que podem oferecer aos doentes, com a falta de recursos humanos, com a falta de planificação e de estratégia a longo prazo. E com as diferenças entre o que podem oferecer aos doentes, dependendo da zona do país em que vivem.

  • "O Mal Entendido: as doenças a que chamamos cancro" - capítulo 1 - Não há doenças, há doentes
    41:14

    Grande Reportagem SIC

    A SIC estreou no dia 8 de Maio, no Jornal da Noite a primeira de cinco Grandes Reportagens sobre a doença que mais tem aumentado no mundo. O cancro já foi uma inapelável sentença de morte e ainda é em tantos casos, mas evolui cada vez mais para doença crónica, possível de controlar. Ainda causa um sofrimento indizível, sim, mas a taxa de cura é cada vez mais animadora. É palavra que ainda custa pronunciar, mas é também no falar que começa o combate e a prevenção. Procuramos resposta para as grandes perguntas, por exemplo, o que é o cancro ou como chegamos aos tratamentos mais avançados, e a que preços. Neste primeiro capítulo, cruzam-se duas viagens: a da ciência e a de um homem a quem aos 35 anos diagnosticaram um cancro.

  • "A bebedeira passa, o resto não!"
    2:48

    País

    O INEM socorreu mais de mil menores em coma alcoólico, no ano passado. Por isso, os adolescentes são o alvo da campanha lançada esta sexta-feira pelo Governo: "A bebedeira passa, o resto não!"

  • Sabe que pode estar a pagar 100€ a mais na fatura do gás?
    2:29

    Economia

    A maior parte das empresas fornecedoras de gás continua a cobrar aos clientes a taxa de ocupação do subsolo ao clientes, apesar da lei dizer que deve ser paga pelas empresas desde janeiro de 2017. Cada Câmara Municipal cobra o que entende e há autarquias que não cobram nada. Em alguns casos podemos estar a falar de mais de 8 euros por mês, ou seja, mais de 100 euros por ano.

  • As técnicas e o currículo polémico do Dr. Bumbum
    2:10

    Mundo

    Uma mulher morreu após uma operação aos glúteos, feita na casa de um cirurgião plástico conhecido no Brasil por Dr. Bumbum. Depois de quatro dias em fuga, o homem entregou-se às autoridades. O médico operava as mulheres em casa e no currículo tem um curso que não acabou e pós-graduações que não são reconhecidas.

  • Ir ao Douro e à Nazaré
    25:57
  • O convite que causou surpresa até na Casa Branca
    2:33