sicnot

Perfil

A Ruína

Os argumentos dos juízes contra os emigrantes lesados do BES: excerto da Grande Reportagem

Hoje no Jornal da Noite

Os argumentos dos juízes contra os emigrantes lesados do BES: excerto da Grande Reportagem

Os emigrantes lesados que aplicaram as poupanças do BES estão a perder quase todos os processos na justiça. No 2.º episódio da Grande Reportagem "A Ruína", mostramos-lhe os argumentos dos juízes do Tribunal Central Cível de Lisboa. A derrota dos emigrantes na justiça traduz-se em desespero e desconfiança. Veja aqui o excerto de "Justiça Cega", que estreia hoje no Jornal da Noite.

A equipa de jornalistas da SIC que realizou a série de Grande Reportagem “Assalto ao Castelo” regressa com "A Ruína". O fio condutor é, de novo, o universo BES.

"A Ruína" detalha a forma como o banco de Ricardo Salgado conseguiu convencer 8 mil emigrantes a comprarem 723 milhões de euros de ações preferenciais de veículos financeiros esculpidos pelo BES. A dar fortes sinais de contaminação pelo peso da dívida das empresas do grupo Espírito Santo desde 2009, o banco viu-se forçado a encontrar formas rápidas de gerar liquidez. Entre 2012 e 2014 os emigrantes, financeiramente iletrados, foram o alvo. E o BES vendeu-lhes títulos de dívida do banco e das empresas falidas do grupo que só poderiam ser transformados em dinheiro em 2047 - 2051. Que esquema inventou o BES para convencer estes 8 mil emigrantes a investirem no risco e no incerto?

Veja o Episódio 2 – “Justiça Cega”, quinta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

(Re)veja aqui o Episódio 1 - O Conto do Vigário

  • E se o BES renascesse das cinzas como a fénix?
    0:44

    A Ruína

    Por que razão associamos o BES à fénix, pássaro da mitologia grega que renascia das próprias cinzas? As decisões da Justiça têm como base as decisões do Banco de Portugal que, em dezembro de 2015, transferiram as poupanças dos emigrantes do Novo Banco para o "banco mau". Em paralelo, aguarda-se uma decisão do tribunal administrativo que pode, pura e simplesmente, reverter o processo. Difícil? Ainda assim, mais fácil do que a fénix renascer das cinzas… Para ver hoje no Jornal da Noite, "Justiça Cega", o segundo episódio da Grande Reportagem "A Ruína".

  • A revolta dos emigrantes lesados do BES perante a (in)justiça
    0:51

    A Ruína

    A Justiça portuguesa não dá razão aos lesados do BES. Os juízes do Tribunal Cível de Lisboa negam indemnizações aos emigrantes. Entendem que as poupanças não transitaram para o Novo Banco e que os lesados não têm direto de as recuperar. António Ferreira Fernandes é um dos emigrantes a quem foi negado esse direito. Vamos conhecê-lo no 2.º episódio da Grande Reportagem "A Ruína- Justiça Cega", esta quinta-feira no Jornal da Noite.

  • Carlos César admite diálogo "mais fácil" com PSD de Rio
    1:36

    País

    O presidente e líder parlamentar do PSD diz que o partido não precisa de novos aliados, mas acredita que vai ser mais fácil dialogar com o PSD liderado por Rui Rio, Carlos César visitou esta segunda-feira as regiões afetadas pelos incêndios do ano passado, no primeiro dia das jornadas parlamentares dos socialistas.

  • Papa pede perdão a vítimas de abusos por ter usado expressão "menos feliz"
    1:21

    Mundo

    No final da visita à América Latina, já no avião de regresso a Roma, o Papa Francisco pediu desculpa às vítimas de abusos sexuais no Chile. O líder da Igreja católica considerou que utilzou uma expressão menos "feliz" quando saiu em defesa do bispo Juan Barros, exigindo "provas" a quem o acusa de não ter agido.

  • Os três pontos de Ronaldo
    1:16
  • Decifrado pergaminho encontrado há 50 anos

    Mundo

    Investigadores israelitas reconstituíram e decifraram um dos dois manuscritos de pergaminhos do Mar Morto que nunca tinham sido interpretados desde que foram descobertos há meio século, anunciou a universidade israelita de Haifa.

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC