sicnot

Perfil

Sociedade das Nações

A origem do Mal

Terrorismo. Violência urbana. As decapitações anunciadas do Dito estado islâmico. Genocídios e holocaustos. Deportações em massa. Guerras civis, guerras internacionais, guerras totais. Crimes contra a humanidade. Políticos corruptos, banqueiros ladrões, empresários sem escrúpulos, religiosos abusadores, bandidos disfarçados de revolucionários ou reacionários. Tudo isto faz parte da grande telenovela da informação contemporânea.

Richard Kearney, um dos grandes filósofos contemporâneos

Richard Kearney, um dos grandes filósofos contemporâneos

No coração desses acontecimentos parece sempre estar o Mal. Mas, precisamente, o que é que queremos dizer, quando falamos do Mal? Richard Kearney, um dos grandes filósofos contemporâneos, professor na Sorbonne e no Boston College, tem sido um dos autores que mais se debruça sobre o problema do Mal na História e nas Sociedades.

 

Esta semana no Sociedade das Nações, Richard Kearney explica a diferença entre o Mal natural e o Mal humano. O professor de Filosofia procura ainda respostas para a origem do Mal e explicações para que, apesar das mudanças de valores nas sociedades, a ideia de Mal possa prevaleça.

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Fitch retira Portugal do "lixo"
    2:20
  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".