sicnot

Perfil

Sociedade das Nações

A transição democrática na Tunísia

A Tunísia, primeiro país da chamada "primavera árabe", encerrou em dezembro, com as primeiras presidenciais livres, o ciclo de transição política iniciado com a revolução de 2011 que depôs Zine el Abidine Ben Ali, que estava no poder há 23 anos. O país enfrenta importantes problemas de segurança, quer pela instabilidade na vizinha Líbia quer pela forte presença de extremistas no seu território, tendo sofrido um ataque terrorista contra um dos principais museus da capital em março deste ano, no qual morreram mais de duas dezenas de pessoas, entre as quais vários turistas.

© Zoubeir Souissi / Reuters

A Tunísia, um dos países mais laicos da sua região, tem o desafio de resolver as divergências entre os setores laicos e islamitas, que prevalece. Apesar de persistirem problemas como conflitos sociais, o surgimento  de violência atribuída a grupos 'jihadistas', o aumento do desemprego e a quebra no crescimento económico, o país tem dado sinais de estabilidade, nomeadamente com a aprovação de uma constituição que consagra a igualdade entre homens e mulheres e a liberdade religiosa, rejeitando o Islão como fonte do Direito. 

O primeiro-ministro da Tunísia, Habib Essid, é o convidado do Sociedade das Nações. Nesta entrevista, o chefe do executivo tunisino faz o balanço dos primeiros meses no governo do país. 

Habib Essid explica ainda porque razão a Tunísia está contra a decisão europeia de destruir as embarcações que transportam migrantes para a Europa através do Mediterrâneo.A medida, tomada pelos ministros da Defesa e dos Negócios Estrangeiros da União Europiea, insere-se no combate ao tráfico de pessoas no Mediterrâneo, onde, desde o início de 2015, quase 2000 migrantes morreram ou desapareceram.
  • Dois em cada três idosos em Portugal são sedentários

    País

    É a camada da população mais inativa e com comportamentos que revelam um estilo de vida menos saudável, segundo um estudo divulgado hoje, que analisou os dados de mais de 10.600 portugueses representativos da população, entre os quais mais de 2.300 pessoas com mais de 65 anos.

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • O que muda com a saída do Procedimento por Défice Excessivo?
    2:10
  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.

  • Marcelo opta pelo silêncio sobre a eutanásia
    1:09

    Eutanásia

    Marcelo Rebelo de Sousa diz que só tomará uma posição sobre a eutanásia quando o diploma chegar a Belém. O chefe de Estado garante que vai ficar em silêncio, para não condicionar o debate e também "para ficar de mãos livres para decidir".