sicnot

Perfil

Sociedade das Nações

O futuro da Base das Lajes

O Congressista norte-americano Devin Nunes é o convidado do Sociedade das Nações desta semana. O republicano é também o presidente da Comissão de Serviços Secretos da Câmara dos Representantes, que quer estudar a transferência de bases de informações dos EUA, sediadas no Reino Unido, para as Lajes, na Ilha Terceira.

Devin Nunes acredita que as Lajes seriam um bom centro de «intelligence» para os comandos europeu e africano dos EUA, e diz que a pista continua a ser importante - se não vital - em todos os conflitos e tensões mundiais, incluindo no Médio Oriente. O lusodescendente explica que o Pentágono fez mal as contas, e que tal transferência é mais barata para o contribuinte americano do que qualquer outro plano.

A Câmara dos Representantes norte-americana aprovou este mês um orçamento que inclui uma alínea, introduzida por Devin Nunes, que suspende a retirada das Lajes até ficar provado que base açoriana não pode acolher um novo centro dos serviços de informação projetado para o Reino Unido. O documento, que determina o orçamento dos serviços de informação dos EUA, precisa ainda de ser aprovado pelo Senado e ser ratificado pelo Presidente Barack Obama.

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15